header top bar

Francisco Cartaxo

section content

A garça na sangria do Açude Grande

27/05/2022 às 18h26 • atualizado em 27/05/2022 às 18h27

Coluna de Francisco Frassales Cartaxo

Por Francisco Frassales Cartaxo

Da mureta do canal do sangradouro do Açude Grande, junto da praça Cristiano Cartaxo, vi a garça bicar peixinhos na correnteza de fim de inverno. Durante alguns minutos apreciei aquela brancura na batalha da comida. Corri ao celular ansioso para registrar a rotina, imagino, no longo período de chuvas este ano. Ao me aproximar a garça voou, exuberante, agigantada, com suas asas longas, até a mangueira além canal. Outras se achegaram, formando um pequeno bando, vestido de noiva. Paciente, esperei-lhe o retorno. E a fotografei de muitos ângulos.

Quando me dirigi ao balde do Açude, notei que uma garça cruzou o céu no mesmo rumo. (Seria a mesma?). Da passarela do sangradouro, observei que disputava com pequenas aves a caça viva. Do outro lado da barragem, na imensidão das águas, em meio à profusão de mato, salsa, capim e muitas ervas, estavam jaçanãs, socós, lavadeiras…

– Olha, Frassales, um ninho de galinhas d’água, ali, espia na pasta.

Bosco Amaro aponta o local exato onde se mexe quase uma dúzia de avezinhas, algumas com o bico aberto à espera do alimento salvador. Aprendem a arte da sobrevivência. Fotografa, fotografa, repete Bosco, meu velho companheiro da resistência democrática no antigo MDB cajazeirense. Tento em vão captar com nitidez a descoberta, porém, minha falta de habilidade no manuseio do celular fica à mostra, mais uma vez.

Continuamos pelo balde do Açude.

No meio da parede, um pé de cajá desponta, entre Melão de São Caetano, canapú, flores do mato, jetirana e muitas ervas! Essa cajazeira, com raízes fincadas na parede do Açude é um símbolo, a nos lembrar a maldade que abateu cajazeiras ao lado do Tênis Clube. Espero que não apareça, agora, quem a condene à morte, por algum motivo “técnico”, sob a alegação de representar um perigo para a segurança da barragem, construída na seca de 1915.

A jusante do Açude, à altura do muro do antigo Oratório, ao lado da atual Faculdade Católica da Paraíba, fica o terreno, no qual padre Gervásio Fernandes ensaiou uma roça de milho, feição, jerimum, batata doce. Se não dava resultado econômico, aplacava a nostalgia da zona rural, um apego de todos nós.

Retornamos à passarela do sangradouro.

Vejo que a garça solitária, após sobrevoar o lixo, espalhado à margem da intercortada correnteza, pousa nos seixos do sangradouro. Com inusitada elegância, a bela garça bica piabas para alimentar a exuberância de seus voos. Benza-te Deus!

Presidente da Academia Cajazeirense de Artes e Letras

Açude Grande em Cajazeiras. (Foto: Francisco Cartaxo).

Garça solitária na mangueira. (Foto: Francisco Cartaxo).

Francisco Cartaxo

Francisco Cartaxo

Francisco Sales Cartaxo Rolim foi secretário de planejamento do governo de Ivan Bichara, secretário-adjunto da fazenda de Pernambuco – governo de Miguel Arraes. É escritor, filiado à UBE/PE e membro-fundador da Academia Cajazeirense de Artes e Letras – ACAL. Autor de, entre outros livros, Guerra ao fanatismo: a diocese de Cajazeiras no cerco ao padre Cícero.

Contato: cartaxorolim@gmail.com

CASO EM INVESTIGAÇÃO

VÍDEO: Bandidos saqueiam caminhão de frios em Pombal e abandonam veículo; motorista está desaparecido

NA BASE DO GOVERNADOR

VÍDEO: Santiago diz que Republicanos é independente e ‘não arreda o pé’ da vaga de vice de João Azevêdo

AFINIDADE COM FÃS

VÍDEO: Público grita o nome de Lula durante show de Juliette em Caruaru e cantora incentiva

GOLAÇO

VÍDEO: Sousa vence São Paulo Crystal no Marizão e garante classificação antecipada na série D

Francisco Cartaxo

Francisco Cartaxo

Francisco Sales Cartaxo Rolim foi secretário de planejamento do governo de Ivan Bichara, secretário-adjunto da fazenda de Pernambuco – governo de Miguel Arraes. É escritor, filiado à UBE/PE e membro-fundador da Academia Cajazeirense de Artes e Letras – ACAL. Autor de, entre outros livros, Guerra ao fanatismo: a diocese de Cajazeiras no cerco ao padre Cícero.

Contato: cartaxorolim@gmail.com

Recomendado pelo Google: