header top bar

Rodrigo Limeira

section content

Chuvas abaixo da média em janeiro,março e maio de 2018

11/06/2018 às 11h48

Um período chuvoso irregular, com chuvas abaixo da média nos meses de janeiro, março e maio no semiárido da Paraíba, confirmaram a previsão do estudioso Rodrigo Cézar Limeira.

As chuvas foram mal distribuídas e também abaixo da média na maioria das localidades do semiárido da Paraíba nos referidos meses.

Conforme previu o pesquisador, em muitos locais os agricultores colheriam suas lavouras, mas em outras localidades do interior do Estado, haveriam perdas fato que se confirmou.

De acordo com o agricultor de Imaculada Orlando Gabriel, as lavouras de milho se perderam agora em maio, além de várias perdas ocorridas no mês de março, informação reforçada também pelo radialista da cidade Edgar Júnior.

Em Quixaba as perdas nas lavouras de milho em março foram consideráveis, de acordo com o agricultor Alisson Lucena. Na fazenda Trapiá, setor norte do município de Patos, todo o milho se perdeu, escapando apenas a plantio irrigado, de acordo com o próprio Rodrigo Cézar Limeira, que é um dos proprietários. Nem o sorgo, que é mais resistente a irregularidade na distribuição temporal das chuvas escapou, tendo perdido grande parte de seu crescimento no setor da fazenda onde não foi irrigado.

Já em Santa Teresinha de acordo com informações repassadas, a colheita foi boa, apesar de também ter chovido abaixo da média esse ano: 674,8 mm no período de janeiro a maio, para uma média pluviométrica no citado período de cerca de 790 mm, e média pluviométrica anual de 871 mm.

Em Cajazeirinhas, segundo informações do técnico da EmaterZildo Vicente a colheita foi ótima esse ano na zona rural do município. Já em Riacho dos Cavalos, houveram grandes perdas nas lavouras de milho e sorgo em março, de acordo com informações do popular Cleiton Alves de Andrade, já em Cajazeiras o ano foi bom para a agricultura, no município, de acordo com dados oficiais atualizados do Governo do Estado choveu 967,5 mm dentro da cidade, na Lagoa do Arroz choveu 724 mm, de acordo com a OMM (Organização Meteorológica Mundial) tem-se: (724 + 967,5)/2 = 846 mm que é abaixo dos 900 mm, ou seja, as chuvas em Cajazeiras também ficaram abaixo da média esse ano. Se forem considerados os dados obtidos no posto pluviométrico de Engenheiro Ávidos, o índice obtido ficaria ainda mais abaixo dos 900 mm, mas os dados do citado posto não estão atualizados.

Sucesso nas lavouras em muitos locais, e alguns fracassos em outros, conforme previa o físico, meteorologista e mestre em Meteorologia Rodrigo Cézar Limeira.

Rodrigo Limeira

Rodrigo Limeira

Rodrigo Cézar Limeira
Formado em Física pela Faculdade Chaffic – São Paulo/SP – 2012;
Formado em Meteorologia pela UFCG – C. Grande/PB – 2006;
Mestre em Meteorologia pela UFCG – C. Grande/PB – 2008;
Físico do NEPEN (Núcleo de Estudos e Pesquisas do Nordeste) de Julho de 2012 à Março de 2015, Editor do Portal Ciência em Foco: (www.cienciaemfoco.com) e Consultor de Clima da Empresa Federal Energia desde Dezembro de 2015.

DIÁRIO ESPORTIVO

VÍDEO: Na TV, dirigentes do Atlético de Cajazeiras explicam contratações fechadas e outras que ‘melaram’

NOVAS CRÍTICAS

VÍDEO: Para líder católico de Cajazeiras, o Nordeste será “um recanto esquecido” por Bolsonaro

CLIMA DE EMOÇÃO

VÍDEO: Amigos e familiares destacam o legado de Dr. Toinho durante velório do advogado em Cajazeiras

ECONOMIA

VÍDEO: Com fila zerada, Bolsa Família injeta quase R$ 2 milhões por mês em Cajazeiras, diz coordenador

Rodrigo Limeira

Rodrigo Limeira

Rodrigo Cézar Limeira
Formado em Física pela Faculdade Chaffic – São Paulo/SP – 2012;
Formado em Meteorologia pela UFCG – C. Grande/PB – 2006;
Mestre em Meteorologia pela UFCG – C. Grande/PB – 2008;
Físico do NEPEN (Núcleo de Estudos e Pesquisas do Nordeste) de Julho de 2012 à Março de 2015, Editor do Portal Ciência em Foco: (www.cienciaemfoco.com) e Consultor de Clima da Empresa Federal Energia desde Dezembro de 2015.