header top bar

José Antonio

section content

Precisamos salvar o Campestre

07/06/2019 às 07h15

Coluna de José Antônio

O Clube Campestre Cajazeirense tem uma história de luta, trabalho, obstinação e determinação, nascida no seio do Cajazeiras Tênis Clube, através da visão e coragem do advogado José Moreira de Figueiredo, conhecido como Dr. Benu.

O Clube Campestre Cajazeirense foi fundado em 14 de março de 1982. Sua diretoria provisória, eleita nesta data, era formada por: Raimundo Faustino da Nóbrega (presidente) Geraldo Pinheiro Brandão (secretário) e José Juarez (tesoureiro) e a primeira diretoria eleita, em 12 de janeiro de 1983 era composta por:

*Francisco Iramirton Braga (presidente)
*Carlos Roberto Pereira de Sousa (vice-presidente)
*Francisco de Assis dos Santos Dias (primeiro-secretário)
*Juracy Nobre Coelho (segundo-secretário)
*Raimundo Faustino da Nóbrega (primeiro-tesoureiro)
*Dário Oliveira (segundo-tesoureiro)
*José Nilmar de Holanda (diretor de esportes)
*Joaquim Moreira Sobrinho (diretor de patrimônio)
*Francisco Pereira da Silva (diretor social)

O Conselho Deliberativo era formado por: Constantino Cartaxo, Francisco Alves da Silva, Francisco Iemirton Braga, Geraldo Pinheiro Brandão, José Antônio de Albuquerque, José Juarez e José Lopes de Lira e o Conselho Fiscal era composto por Eduardo Jorge César Guedes, Francisco Eudes Cartaxo e Luiz Xavier de Andrade, além de Henrique Nogueira Neto, Horley Fernandes e José Willame Braga como suplentes.

Lembro-me da luta de Raimundo Faustino para conquistar novos sócios patrimoniais, da campanha do saco de cimento para construir a piscina e nas portas em que batia sempre teve a adesão daqueles que desejavam ver a cidade de Cajazeiras ter mais um clube digno de suas tradições sociais. Além do investimento na compra do terreno, aos poucos iam sendo construídos os equipamentos necessários para o seu funcionamento e novas campanhas eram realizadas e sempre com o apoio da sociedade cajazeirense. Nesta luta foi importante também a garra de Iramirton Braga, que recebia o apoio de toda a diretoria.

Passados 37 anos de sua fundação, infelizmente, nos dias atuais o nosso querido Campestre, clube o qual sou Sócio Remido (uma categoria de sócio que contribuiu com uma quantidade de recursos e que ao adquirir este título fica dispensado de pagar mensalidades), está vivendo um momento muito delicado de sua vida.

A diretoria recém-empossada, depois de várias reuniões, um Contador, fez um levantamento da real situação financeira e contábil e foi constatado um débito que ultrapassa meio milhão de reais.
O que fazer diante esta situação? A diretoria vem estudando as alternativas e uma delas é fazer que o sócio voltasse a querer ao clube, como o foi no início. São 400 sócios, que se pagarem suas mensalidades, com certeza daria para ir cobrindo as despesas e com as sobras se começava a pagar os débitos. A inadimplência é muito grande, também em função dos poucos atrativos que o clube vem ofertando aos seus sócios e este é mais um desafio para a nova diretoria.

Quem já esteve numa situação idêntica foi o Cajazeiras Tênis Clube e sob o comando de Rubismar Marques Galvão, hoje é um clube que tem superávit mensal, depois de uma penosa e dolorosa caminhada. Vale salientar que Rubismar faz parte da diretoria do Campestre e poderá contribuir com sua valiosa experiência, ao lado dos outros “heróis” que poderão “salvar o Campestre”.
Temos informações que o Campestre Clube de Sousa funciona é que é uma maravilha e teria diferente do nosso, que tem um déficit de mais de meio milhão de reais, lá tem um superávit igual ao nosso “rombo”. É buscar as experiências e vivência do clube vizinho. Temos que nos pegar com todos os santos para salvar o nosso querido campestre e para isto espera-se o apoio de toda sociedade cajazeirense.

Vamos para a luta!

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br

Recomendado para você pelo google

VISTANDO SUA TERRA NATAL

Heron Cid defende centro universitário em Marizópolis e ponto de intersecção entre Sousa e Cajazeiras

BOA NOTÍCIA

Hospital Universitário de Cajazeiras passa a oferecer novos serviços para a população do Alto Sertão

REVOLTA

VÍDEO: ‘Só quem odeia Lula o quer preso, como se ele fosse um bandido perigoso’, diz jornalista

VÍDEO

“Sou liderança forte, mas estou abandonado”, declarou Gobira ao vivo sobre grupo de Carlos Antonio

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br