header top bar

José Antonio

section content

Seu João celebra 90 anos no céu

19/06/2020 às 09h52

Coluna de José Antônio

Seu João Claudino se despediu dos amigos, com um simples e singelo aceno, de longe e sem poder sentir o calor e o afeto dos milhares de amigos que desejavam participar de suas exéquias: a pandemia do novo coronavírus impediu as manifestações, que sem dúvida seriam a altura do seu merecimento. Neste dia 24 de junho, dia de São João, Santo da sua profunda devoção, completam 60 dias de sua partida para a eternidade.

Neste dia 21 de junho, Seu João completaria 90 anos de vida. No nosso último encontro, na cidade de Uiraúna, com brilho nos olhos, já falava da grandiosa festa que iria fazer para celebrar, ao lado dos amigos, esta data representativa de sua vida. Celebrar a vida tinha um significado muito forte na sua caminhada. Via-se o quanto ele gostava de viver, de lutar pela vida, de sobreviver. Ele sempre me dizia o quanto era bom celebrar as importantes datas de suas conquistas. Quantos aniversários ele não celebrou festivamente? Principalmente os de seus Armazéns Paraíba? Ele mesmo era uma permanente festa, uma alegria abundante, bastava um microfone. E com um microfone na mão, mostrava o quanto era um extraordinário comunicador, um exímio falante e um grande líder.

Folheando as páginas do Jornal Gazeta do Alto Piranhas revi várias matérias e reportagens com Seu João e uma delas ele debulhava os segredos de seu sucesso: “primeiro tem que ter vocação e ter a certeza de gostar do que faz, depois tem que se dedicar de corpo e alma, ter credibilidade e fazer o imaginável para que seu cliente tenha confiança em você”; valorizar o seu funcionário, porque nem sempre um bom salário é vital; outro aspecto importantíssimo: o cliente em primeiro lugar porque sem ele não existe a empresa e nem o negócio; apurado não é lucro e “quanto mais você economizar melhor e assim fizemos desde os meus tempos de Cajazeiras” e daí vem o equilíbrio financeiro; e tem aspecto que ele valoriza muito: a publicidade e parece que seguia os passos de Henri Ford: se fosse construir um negócio e se tivesse apenas um dólar, investiria em publicidade. E as lições de Seu João seguem: “no inicio foi por intuição, mas nos dias atuais precisa ter planejamento”, além de o olho do dono é que engorda o boi, tem que acompanhar de perto, ver tudo e sempre continuar investindo, mas sem arriscar, ou seja, não colocar todos os ovos num só balaio. Estas lições, que ele deve ter aprendido no dia a dia de seus negócios, ele fazia questão de ensinar e orientar os que começavam a vida no mundo dos negócios.

Seu João era assim: um aprendiz, mas um eterno professor e sentia prazer em ensinar, orientar, incentivar e até ajudar financeiramente os seus pupilos.

Seu João não parava de trabalhar e trabalho para ele era como se fosse um divertimento, mesmo tendo os filhos engajados nos negócios da família e costumava dizer: “Eu trabalho porque eu gosto mesmo. Eu sei que hoje os jovens planejam melhor, mas eu estou aqui, à disposição para quem precisar traçar novos planos, para quem precisar de orientação, tirar dúvidas”.

Seu João era um grande amante da História e possuía uma memória invejável e deve ter um dos maiores acervos fotográficos sobre a cidade de Cajazeiras. Vislumbro a possibilidade da família em construir um Memorial sobre João, que com certeza será um ambiente para os historiadores e pesquisadores.

Diante da morte de Seu João, um grande e velho amigo, o senador Elmano Férrer, ao manifestar sua dor e consternação disse: “Será sempre lembrado pelo profissionalismo, honestidade, lealdade, inteligência, competência e sensibilidade para lidar com as adversidades e conflitos humanos e por todo bem que proporcionou a quem estava ao seu redor, ao Estado e ao País”

Muita festa nas alamedas da eternidade para Seu João, neste dia 21, feita por Seu Joca e Dona Francisquinha e os inúmeros amigos que partiram antes dele e outra celebração feita por aqui, nas plagas sertanejas, com muitas orações e cânticos em louvores de sua alma.

“Ninguém morre enquanto permanece na lembrança e no coração dos que ficam”.

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br

OPINIÃO

VÍDEO: Jornalista diz que os três candidatos a vice-prefeito em Cajazeiras são ‘retrocesso na história’

REBATENDO O PREFEITO

VÍDEO: Empresário rompe o silêncio e nega ter citado ex-prefeita Denise em delação da Operação Andaime

AGLOMERAÇÃO

VEJA: Em visita de Bolsonaro ao Sertão da PB, mulher pede para ele baixar kg do arroz e vídeo viraliza

FUNDADOR DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Morte de Padre Rolim completa 121 anos, e fato ganha minucioso estudo histórico de sacerdote

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!