header top bar

section content

VÍDEO: Jornalista sousense crava 2º turno na PB e diz que Maranhão é favorito por sua popularidade

Thalles Gadelha avaliou que, apesar das redes sociais darem mais visibilidades aos candidatos, João Azevedo ainda é desconhecido do 'grande público'

Por Jocivan Pinheiro

29/08/2018 às 15h27 • atualizado em 29/08/2018 às 15h32

Entrevistado do programa Caldeirão Político desta semana, o advogado e jornalista Thalles Gadelha, da cidade de Sousa, disse que haverá segundo turno na eleição para governador da Paraíba, mas que José Maranhão (MDB), por ser o candidato mais popular, tem a maior chance de vencer.

Ao comparar José Maranhão com João Azevedo (PSB), candidato apoiado pelo Governo do Estado, Thalles avaliou que, apesar das redes sociais darem mais visibilidades aos candidatos, Azevedo ainda é desconhecido do ‘grande público’, enquanto que Maranhão tem a seu favor uma carreira longa na política.

“O governador já deu sua grande contribuição. Mas de uma forma muito autoritária, individualista, egocêntrica, está querendo empurrar seu sucessor, que é um homem preparado, mas totalmente desconhecido do mundo político. O grande público não conhece”, disse.

“José Maranhão é uma grife, tem muito nome, muita história, foram mais de 10 anos de palácio e integralmente limpo. Já vasculharam a vida de José Maranhão para baixo e para cima e não acharam nada, nem um comprimido de pressão”, completou.

VER MAISCajazeirense aparece entre os 12 favoritos em pesquisa espontânea para deputado federal

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

REFORMA AGRÁRIA

VÍDEO: Coordenadora da CPT Sertão afirma que terras são um direito dos camponeses e não do agronegócio

CLIMA IDEAL

VÍDEO: Prefeito revela interesse de empresas em instalar parque de energia solar em Monte Horebe

INTERVENÇÃO

VÍDEO: Diretor da SCTrans fala sobre planos para dar segurança aos pedestres em frente à São João Bosco

"QUER ENRICAR AINDA MAIS"

VÍDEO: Pastor de Cajazeiras diz que famoso bispo está vendendo imagens de deusa egípcia na igreja