header top bar

section content

Após morte de sertanejo em JP, polícia desarticula quadrilha suspeitas de mais de 30 assassinatos na PB

“Eles vieram até a Capital atrás dessa vítima, que também é do Sertão e estava na casa de parentes aqui no bairro do Valentina", destacou o comandante do 5º Batalhão da PM.

Por Luzia de Sousa

05/01/2020 às 10h55 • atualizado em 05/01/2020 às 10h57

Polícia desarticula quadrilha que seria responsável por mais de 30 assassinatos

A Polícia Militar prendeu, nessa sexta-feira (03), após perseguição e troca de tiros na Zona Sul da Capital, quatro suspeitos de integrar uma quadrilha que teria envolvimento em mais de 30 assassinatos na região de Catolé do Rocha, no Sertão da Paraíba. A prisão deles aconteceu depois que os acusados mataram a tiros um rival do grupo, no bairro do Valentina, também em João Pessoa.

VEJA MAIS: Sertanejo vai passar ano novo em João Pessoa e acaba assassinado a tiros dentro de residência

Os quatro suspeitos estavam em um carro e, após o crime, foram perseguidos até o Colinas do Sul, onde houve um confronto com os policiais militares, que acabou com todos eles presos em flagrante com três pistolas, sendo duas de calibre .40 e uma de calibre 9 milímetros.

“Eles vieram até a Capital atrás dessa vítima, que também é do Sertão e estava na casa de parentes aqui no bairro do Valentina. A prisão deu resposta não só a esse crime de hoje, como a vários outros ocorridos principalmente nos últimos meses, na região de Catolé do Rocha”, destacou o comandante do 5º Batalhão, tenente-coronel Marcos Barros.

As primeiras informações, que devem ser confirmadas no decorrer das investigações policiais, é de que o assassinato da noite desta sexta-feira estaria ligado à guerra entre famílias na região de Catolé do Rocha.

O comandante do 12º Batalhão, major Esaú de Lucena, disse que a maioria dos crimes ocorridos na região de Catolé do Rocha, principalmente nos últimos seis meses, foram cometidos por armas dos tipos pistola calibre .40 e 9 milímetros, que foram as mesmas apreendidas com o grupo. “O fato das armas apreendidas com o grupo, que possuem os mesmos calibres repassados pelas perícias feita em vítimas de assassinatos, principalmente nos últimos seis meses, chama a atenção e podem ser as mesmas usadas nos crimes aqui na região”, disse.

Sertanejo teria ido passar o ano novo na capital (Foto: Arquivo pessoal)

Um dos acusados, que é apontado como líder do grupo e tem mandado de prisão por vários homicídios, saiu ferido e foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma, em João Pessoa. Os outros três presos foram apresentados na Central de Polícia, no bairro do Geisel, na Capital.

CASO
Tairony Silva Maia, 35 anos, natural de Catolé do Rocha, Sertão da Paraíba foi assassinado a tiros nessa sexta-feira (03), dentro de uma residência no Bairro Valentina Figueiredo, em João Pessoa.

O sertanejo foi a capital para passar o ano novo e acabou sendo assassinado. Segundo a Polícia Militar, o corpo foi encontrado no corredor da casa.

PORTAL DIÁRIO

Recomendado para você pelo google

PROBLEMA SOCIAL

VÍDEO: Conselho Tutelar notifica pais por causa de crianças pedindo nos semáforos de Cajazeiras

OPÇÃO RELIGIOSA

VÍDEO: Retiro de Carnaval de Pombal anuncia programação da 35° edição com atrações a nível nacional

CAMPEONATO PARAIBANO

VÍDEO: Wesley, Éder Paulista e o técnico Ederson Araújo aprovam estreia do Atlético e elogiam a torcida

FALTA DE COMODIDADE

Professora cobra fiscalização na ocupação de calçadas por comerciantes que interfere a mobilidade urbana