header top bar

string(13) "diario-sertao"

section content

Jovem conta detalhes da morte da família; Vereador diz que colega pode ser o autor

Ele denunciou ainda que a casa da família ainda foi assaltada após os corpos serem levados para o IML de Patos

Por

22/09/2015 às 17h56

Mãe e filho foram assassinados na cidade de Cajazeiras nesse final de semana

Roberto de Sá, filho de Maria Berenice de Sá, 54 anos, e irmão de Rafael da Silva de Sá, 22 anos, que foram encontrados mortos nesse sábado (19), dentro da casa onde moravam no sítio Papa Mel, zona rural de Cajazeiras, contou nessa segunda-feira (21) como encontrou os corpos. Ele explicou que estava em Cajazeiras no dia do crime, mas foi a uma festa no sítio Jardineiro e só retornou para casa um pouco mais tarde.

Roberto contou que morava com a mãe e o irmão, e que Maria Berenice sempre deixava uma luz da casa acesa até sua chegada. “Nesse dia passei em frente de casa, mas estava tudo apagado. Fui para festa, mas retornei logo e quando cheguei buzinei em casa, mas ninguém respondeu foi quando liguei para minha irmã”.

*Mundo cão: Mãe e filho são assassinados de forma cruel dentro de casa em Cajazeiras

Ele disse que a irmã o orientou a chamar na janela de casa foi quando percebeu que estava apenas encostada e ao entrar na residência encontrou a mãe morta no chão e o irmão também sem vida em cima da cama. “Fiquei sem acreditar porque meu irmão era uma pessoa de bem”.

Ouça áudio da Rádio Alto Piranhas

Polícia
O delegado Braz Morroni revelou que os móveis da casa onde ocorreu o duplo homicídio não foram tocados, o que leva a crê que não houve luta corporal entre vítimas e acusados.

Braz Morroni contou que a primeira linha de investigação é latrocínio, mas não descarta a hipótese de crime por motivos pessoais e até motivado por homofobia e assegurou ter mais de um acusado. “É um homicídio bastante estranho”.

Ouça áudio da Rádio Alto Piranhas

Vereador 

O vereador Ivanildo Dunga (PMN), cobrou na tribuna da Casa legislativa mais ação da Segurança Pública da Paraíba. Ele clamou também aos agentes sociais pela união para impulsionar campanhas conta a violência e a favor da paz.

Ivanildo Dunga destacou que a Câmara de Cajazeiras terá uma sessão especial para tratar da violência no município e disparou: “Vai ser a corrente do bem contra a corrente do mal”.

Ele denunciou ainda que a casa da família ainda foi assaltada após os corpos serem levados para o IML de Patos. “A polícia tem que dá uma resposta a sociedade. Se fosse um político ou empresário já tinha vindo reforço de João Pessoa”.

O vereador revelou que Rafael de Sá já havia sido roubado alguns dias antes do crime e havia dito que sabia que era o autor do furto, podendo ser, inclusive um colega de trabalho. “Esse colega dele já tinha deixado até de ir ao trabalho e as pessoas que trabalhavam com ele têm que ser ouvidas”.

Veja denúncia do vereador!

DIÁRIO DO SERTÃO 

Tags:
PARTICIPE!

VÍDEO: Gerente do Sebrae fala de revolução tecnológica em feira de Cajazeiras e convida empreendedores

PLANOS E METAS

VÍDEO: Cantor explica como pretende administrar o Atlético e declara que o problema do clube é político

CAMPEONATO PARAIBANO 2019

VÍDEO: Após vistoria técnica, representantes da CBF elogiam o estádio Perpetão: “É um dos melhores”

A ARTE DO CORPO

VÍDEO: Bailarino que dá aula de dança em Cajazeiras fala da sua trajetória e de projetos para a cidade