header top bar

section content

VÍDEO: “Tem que fechar tudo” afirmam debatedores sobre lockdown na PB durante o programa Censura Livre

Os convidados do programa desta segunda-feira (22), levantaram um assunto polêmico principalmente para o setor da economia.

Por Juliana Santos

23/03/2021 às 17h06

O clima esquentou durante debate de fazer ou não lockdown na Paraíba, no programa Censura Livre da TV Diário do Sertão, desta segunda-feira (22). Os convidados desta semana foram o padre Francivaldo do Nascimento Albuquerque, o radialista e enfermeiro Aristênio Marques, a advogada Catharine Rolim e o advogado Joselito Feitosa, com apresentação e mediação de José Dias Neto.

Cada debatedor defendeu seu ponto de vista do estado da Paraíba adotar ou não lockdown ou fechamento de todos dos serviços não essenciais.

VEJA TAMBÉM

Impacto da pandemia da Covid-19 na Paraíba e defesa do ‘lockdown’ são destaques no Censura Livre

Joselito Feitosa

O advogado e colunista, Joselito Feitosa levantou a observação de que mesmo com os decretos que podem impor decisões judicias sobre o não cumprimento das regras sanitárias para evitar a disseminação do vírus da Covid-19, a população não estariam obedecendo as leis. “Quando os decretos de isolamento social são postos pelos governantes é preciso que se cumpram, pois se você não cumprir estará cometendo um crime de desobediência e que pode levar a até a cadeia”.

Catharine Rolim

Concordando com o colega, a advogada Catharine Rolim detalhou que além da desobediência, as pessoas colocam como prioridades coisas banais como um banho de mar, que pode ser feito em outro momento mais tranquilo, que não seja durante o grande pico da pandemia como está ocorrendo no momento. “As pessoas acham ruim quando a polícia encerra um ato de aglomeração, vemos as pessoas desobedecendo tomando banho de mar, afirmando que precisa de um momento de lazer, mas essa situação não é de sobrevivência”, disse.

Cataharine frisou ainda que o governador da Paraíba, João Azevêdo, está tomando várias medidas para tentar equilibrar vários setores e evitar assim o lockdown no Estado. “O governador tem tentado com o fechamento parcial do comércio equilibrar, para evitar o fechamento total, que se continuar na desobediência que está, vai correr na Paraíba”, afirmou.

Comércio e atividades consideradas não essenciais fecham as portas durante lockdown em alguns estados (Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Aristênio Marques

“Enxugar gelo” foi a frase usada pelo radialista e enfermeiro Aristênio Marques, sobre fazer lockdown pontual em determinados estados ou municípios da federação, pois para ele o fechamento total deve ser em todo o país. “Se tiver a ideia de fechamento total, se deve fechar o país como um todo, se não fizer isso vamos enxugar gelo, pois não tem fiscalização para saber quem entra e saí do estado que tiver em lockdown”, frisou.

Francivaldo Albuquerque

O padre Francivaldo Albuquerque, também acha necessário o fechamento total e todo estado, principalmente se os estado vizinhos como Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco adotarem as medidas em conjunto. “Se os estados vizinhas decretaram lockdown a Paraíba vai ficar como a irresponsável com governo sem atitude, vamos ficar filosofando”, frisou.

DIÁRIO DO SERTÃO

DE CORTAR O CORAÇÃO

VÍDEO: Égua, cega e abandonada cai por duas vezes no canal do Estreito e é resgatada por ONG em Sousa

EM CAJAZEIRAS

VÍDEO: Dráuzio Varella faz palestra em evento online da Faculdade Santa Maria e fala sobre a pandemia

PROTEÇÃO NECESSÁRIA

VÍDEO: Coronavac protege cerca de 80% do risco de morte, diz secretário executivo da Saúde da Paraíba

PARAÍBA

VÍDEO: Secretário executivo de Educação explica nova meta de alfabetização e fala em obras em Cajazeiras

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!