header top bar

section content

VÍDEO: Mercado Público de Cajazeiras tem baixa procura por peixes, e vendedores reclamam da estrutura

Reportagem constatou inúmeras tarimbas fechadas em uma época bastante especial, e mostrou a necessidade de melhorias na estrutura do ambiente

Por Diário

13/04/2022 às 17h34 • atualizado em 13/04/2022 às 17h45

A equipe de reportagem da TV Diário do Sertão, na manhã desta quarta-feira (13), visitou o Mercado Público da Avenida Engenheiro Carlos Pires de Sá, no Centro de Cajazeiras, para constatar como andam as vendas dos peixes no período pascal, que cresce bastante nesta semana.

Uma das principais tradições da Semana Santa para grande parte dos cristãos é a abstinência de carne, ou seja, não ingerir carne vermelha e substituí-la por outros alimentos durante esse período.

Para alguns comerciantes as vendas estão boas. Já para outros, no ano passado foi bem melhor, mas a expectativa é que na Sexta-Feira da Paixão a procura melhore.

Alguns desses comerciantes fazem suas vendas no canteiro central da avenida, em barracas improvisadas, e aproveitam para comentar sobre a insatisfação com a atual situação do mercado público. “Falta [uma estrutura melhor], uma reforma, é preciso. Você está vendo a situação, não é?”, aponta o comerciante Josué.

Vendedora de peixe no Mercado Público de Cajazeiras

A equipe constatou inúmeras tarimbas fechadas e mostrou a necessidade de melhorias na estrutura do ambiente para que os comerciantes consigam cumprir seu ofício.

“Precisa de uma melhoria pra gente trabalhar melhor e ver as coisas mais bonitas. Eu mesmo já coloquei tarimba lá fora por causa que o movimento atrapalha o povo, muitos não querem nem entrar aqui dentro. Muitas vezes já aconteceu de gente cair porque não tinha espaço”, relatou o vendedor Ildiglei.

Fator histórico

O jejum é uma tradição que surgiu na Idade Antiga e se consolidou na Idade Média, época em que carne vermelha era consumida só em banquetes nas cortes e nas residências dos nobres, por isso tornou-se símbolo de gula e foi associada ao pecado.

A Igreja, então, passou a orientar os fiéis a comerem carne à vontade antes da Quaresma – o que deu origem aos banquetes chamados “carnevale” e ao nosso carnaval – e depois se absterem de carne durante os 40 dias que antecediam a Páscoa.

DIÁRIO DO SERTÃO

VIOLÊNCIA

VÍDEO: Adolescente de 17 anos é morto a tiros no quintal de sua residência, na região de Catolé do Rocha

TERRÍVEL

VÍDEO: Após bebedeira na zona rural de Princesa Isabel, homem mata seu próprio irmão a golpes de faca

FEROZ

VÍDEO: No sertão da PB, jumento sofre ataque violento de pitbull enquanto pessoas tentam conter o cão

DESMENTINDO

VÍDEO: Grupo do prefeito de Pedra Branca nega adesão a Veneziano e permanece apoiando João Azevêdo

Recomendado pelo Google: