header top bar

section content

Em Sousa: assalto com refém em panificadora termina em perseguição e troca de tiros; viatura foi atingida

"Quem tiver informação sobre a dupla da moto vermelha é só ligar para o número 190, ou então para o 8645-3535 e falar com a PM", Disse o Aspirante Gomes

Por

13/02/2014 às 13h08

Viatura foi atingida com um tiro durante a perseguição (Foto: Diário do Sertão)

Dois assaltantes armados roubaram a panificadora Maná, localizada próximo à Igreja Matriz, no centro de Sousa, por volta das 05h da manhã desta quinta-feira (13). O proprietário do estabelecimento foi feito refém durante a ação dos bandidos.

De acordo com a Polícia Militar, os acusados chegaram ao estabelecimento dizendo que queriam comprar pão, mas logo em seguida anunciaram o assalto, renderam o proprietário, os funcionários e clientes e em seguida subtraíram dinheiro e joias. Um dos suspeitos apontou a arma para a cabeça do dono da panificadora enquanto o comparsa pegava o dinheiro do caixa.

Populares ligaram para a Polícia e uma viatura comandada pelo Cabo Robervan rapidamente chegou ao local, se deparando com a dupla da moto de cor vermelha. Houve perseguição por várias ruas e troca de tiros entre a PM e os assaltantes. Um dos acusados acertou um tiro ao lado do giroflex da viatura policial.

Foi solicitado apoio de outras viaturas, mas os acusados conseguiram fugir do local.

"Quem tiver alguma informação sobre essa dupla da moto vermelha é só ligar para o número 190, ou então para o 8645-3535 e falar diretamente com o comando de policiamento urbano", disse o Aspirante Leandro Gomes.

Veja vídeo!

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”