header top bar

section content

VÍDEO: Em Sousa, presidente de ONG culpa prefeitura por acúmulo de lixo e dejetos, mas secretário rebate

Moradores da localizado no Povo de Deus entraram em contato com a TV Diário do Sertão para denunciar um lixão que fica localizado em frente a um abrigo de animais

Por Bruno Rafael

05/08/2021 às 20h48 • atualizado em 06/08/2021 às 06h11

Moradores do bairro Jardim Desirré, localizado no Povo de Deus, em Sousa, entraram em contato com a TV Diário do Sertão para denunciar acúmulo de lixo em frente a um abrigo de animais.

Segundo os moradores, o lixo contém dejetos de animais, dentre outras coisas, causando mau-cheiro. Nossa equipe esteve na referida rua, mas nenhum morador quis gravar entrevista.

Procuramos Nilza Fernandes, presidente do Abrigo Animais Sem Rumo, e ela deu sua versão sobre o acúmulo no local.

“Em primeiro lugar, queria dizer que entendo a posição da comunidade e peço desculpas. Mas eu não sou responsável pela limpeza urbana de Sousa. Esse lixo, nós lutamos a mais de um ano para ser recolhido. Vereadores foram até a secretaria e exigiram o recolhimento que foi feito, e então ficou acordado que a gente deixaria no trajeto do carro do lixo para que eles recolhessem, mas eles não recolhem”, disse Nilza.

VEJA TAMBÉM

Após morte de cavalo, defensora de animais aciona a Justiça e desabafa contra hospital do IFPB

Presidente de ONG se pronuncia sobre acúmulo de lixo (Foto: Bruno Rafael / TV Diário do Sertão)

Ela ainda conta que o serviço de coleta de lixo público deixou de fazer a coleta em sua residência e que os trabalhadores não usam máscaras no momento do recolhimento do lixo.

“Quero deixar claro que faço um serviço de utilidade pública na cidade e acredito que eu não seja obrigada a recolhimento de lixo público. Eu não tinha problema aqui na minha casa, mas desde sexta-feira que eles não recolhem meu lixo aqui na minha casa. Alegaram pra mim que quando passava no triturador, tinha mau-cheiro. Soube também que eles falaram que não iam recolher pois tinha terra, mas não havia um grão de terra”, finalizou

O coordenador do Núcleo de Justiça Animal (NEJA-UEPB), advogado Francisco José Garcia, afirmou que toda prefeitura é obrigada, por lei, a executar o recolhimento de lixo, seja em casas ou abrigos.

“Toda prefeitura é obrigada, legalmente falando, a recolher todo lixo que está nos limites urbanos do município. Neste sentido, o lixo que estiver na calçada de um popular ou na de um abrigo de animais, não importa onde ele esteja, a prefeitura deve recolher, pois o lixo impacta diretamente na saúde humana e também animal”.

O que diz a gestão municipal

Em contato com a nossa equipe, o secretário de Infraestrutura Delani Gledson informou que esse tipo de coleta não compete ao município, alegando que se isso for feito, danifica o veículo de transporte.

“Cada cidadão tem seus direitos e deveres a cumprir. O carro do lixo só carrega lixo, não carrega dejetos de animal. Dona Nilza está toda errada. Ela coloca dejetos, areia, com tudo, o carro não carrega, se colocar o carro quebra. Carro do lixo nenhum do mundo carrega dejetos com areia. Isso não compete ao município”.

DIÁRIO DO SERTÃO

LIÇÃO DE VIDA

VÍDEO: MC cajazeirense passa dificuldades por causa da pandemia e vende água no semáforo

RELIGIÃO

VÍDEO: Mestre em Ciências da Religião conta detalhes da vinda de Frei Damião ao Brasil e lembra 1ª missa

EM SÃO JOSÉ DE PIRANHAS

VÍDEO: Bolsonaro é recebido por apoiadores e entrega trecho final do Eixo Norte da transposição

SITUAÇÃO DELICADA

VÍDEO: Em Pombal, mulher sem comida em casa e com risco de perder a visão pede ajuda para tratamento

Recomendado pelo Google: