header top bar

section content

Em entrevista, ex-BBB 16 dispara: “Não nasci para ser perfeita”

"Como fui chamada de gorda na infância, aprendi que ou me aceito ou me aceito"

Por Luzia de Sousa

14/03/2016 às 15h10

A atriz posou para o jornal Extra e falou sobre as imperfeições de seu corpo Da Redação

A ex-big brother Ana Paula Renault continua dando o que falar, mesmo fora da casa mais vigiada do país! A jornalista posou em um ensaio fotográfico para o jornal Extra e falou sobre as imperfeições de seu corpo.

Ao contrário de muitas mulheres que se preocupam com o que vão achar de sua silhueta, Ana Paula, que acaba de ganhar um quadro no Vídeo Show, se aceitou do jeitinho que nasceu e fala com tranquilidade sobre o assunto:

– Como fui chamada de gorda na infância, aprendi que ou me aceito ou me aceito. Nunca vou ser a mais bonita nem a mais gostosa. Não nasci para ser perfeita, passo longe disso. Se eu quisesse esconder alguma coisa, não teria ido para o programa, né? A gente que tem que se aceitar do jeito que é.

Mesmo se quisesse esconder algo, Ana Paula diz que não haveria como, pois o programa mostrava cada detalhe de sua personalidade e de seu corpo:

– Todo mundo me viu 24 horas por dia, durante quase dois meses. Não queria sair como a gostosona. Eu andava de biquíni lá, às vezes até cozinhava assim. Todo mundo sabe que tenho celulite. Pedi para deixarem a barriga, culote, celulite. É assim mesmo, saí da casa toda trabalhada na goiabada, disse lembrando da iguaria disponível na casa para o grupo Tá com nada.

R7

Recomendado para você pelo google

ESPECIAL DE PÁSCOA

VÍDEO: TVDS exibe programa ‘Mensagem de Fé com Frei João Batista’ em especial de Semana Santa

FÉ E DEVOÇÃO

Sexta-feira Santa em Cajazeiras é marcada por várias celebrações religiosas e grande número de fiéis

SAÚDE

VÍDEO: Xeque Mate fala sobre a obesidade e médica endocrinologista tira dúvidas sobre a doença; Veja!

SEMANA SANTA PARA OS EVANGÉLICOS

VÍDEO: Pastor fala sobre significado da Páscoa para os protestantes: “É o sacrifício e a libertação”