header top bar

section content

Após risco de interdição do Hospital Regional de Sousa pelo CRM, diretora afirma que aguarda laudo técnico

Em contato com o Diário do Sertão, a diretora do Hospital Regional de Sousa (HRS), Apoliana Ferreira, falou sobre as irregularidades. Confira os detalhes!

Por Campelo Sousa

22/02/2017 às 13h46 • atualizado em 22/02/2017 às 15h04

Apoliana Ferreira, diretora do HRS (Foto: Diário do Sertão)

O Conselho Regional de Medicina (CRM-PB), através do diretor de fiscalização, João Alberto, esteve nesta terça-feira (21) no Hospital Regional de Sousa onde constatou várias irregularidades no local como a falta de equipamentos na UTI e área vermelha, ausência de escala dos médicos, problemas nas instalações de energia elétrica, falta de água e improvisação no Materno Infantil, que funciona temporariamente no local.

Em contato com o Diário do Sertão, a diretora do Hospital Regional de Sousa (HRS), Apoliana Ferreira, falou sobre as irregularidades e enviou uma nota de esclarecimento:

NOTA:
As deficiências mencionadas pelo CRM , estão muito relacionadas a estrutura física, elétrica e alguns equipamentos. O hospital é antigo, a parte elétrica tem projeto para readequação devido ao aumento de equipamentos a uma sobrecarga na rede e a falta de agua que estamos em racionamento desde de 2015. Importante a visita e o relatório técnico para assim melhorarmos e possamos manter o hospital em seu pleno funcionamento , visto que é um Hospital de Suma importância para Toda Região.

*O oxigênio é justamente relacionado à rede elétrica que é uma usina;

*E temos que ter essa readequação, medicamentos na UTI e no hospital, estamos com estoque emergencial;

*O raio x portátil está na UTI, porem não é utilizado, usamos o convencional , pois precisamos de processadora , que é o equipamento que estamos aguardando para funcionar na própria UTI;

*No momento o paciente é levado para o raio x digital no próprio hospital

*Importante frisar que a visita foi importante e espero que possamos melhorar a partir desse relatório técnico.

*Em relação a área vermelha temos que melhorar o espaço físico!

Considerando o relatório da visita técnica do CRM é traçado um plano de trabalho, com base das notificações pontuadas por eles, informando a estratégia adotada.

Quanto ao que é responsabilidade do nível central, oficializamos ao gabinete da secretaria requerendo o solicitado.

A fiscalização
Durante inspeção ao Hospital Regional de Sousa, o Conselho Regional de Medicina (CRM), através de fiscalização verificou uma série de irregularidades em várias áreas. Entre os problemas detectados estão falta de equipamentos na UTI e área vermelha, ausência de escala dos médicos, problemas nas instalações de energia elétrica, falta de água e improvisação no Materno Infantil, que funciona temporariamente no local.

Segundo João Alberto, um relatório será entregue ao Ministério Público E OS problemas devem ser resolvidos em até 30 dias, sob risco de interdição:

“Existem algumas áreas muito críticas. Na sala vermelha está faltando equipamento, na Unidade de Terapia Intensiva falta equipamento e uma coordenação, o que é obrigatório por lei. Precisamos de um controle maior na parte de medicamentos”, pontuou.

Ouça entrevista de João Alberto (Cidade Notícia – rádio líder FM):


DIÁRIO DO SERTÃO

REMÉDIO POLÊMICO

VÍDEO: Cajazeiras registra mais um óbito por Covid-19 e prefeitura disponibiliza Ivermectina a pacientes

NOVAS MEDIDAS

VÍDEO: Prefeito explica decisão de decretar lockdown e toque de recolher na cidade de Conceição

DURANTE PANDEMIA

VÍDEO: Promotor fala como o Ministério Público pode evitar ou punir crime eleitoral em eleição atípica

'ERRO HISTÓRICO'

VÍDEO: Povo desrespeita isolamento porque Brasil não investe em educação, diz empresário de Cajazeiras

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!