header top bar

section content

VÍDEO: Bispo sabia quem colocou bomba em cinema de Cajazeiras? Fato histórico completa 43 anos em 2018

No dia 2 de julho de 1975 uma bomba-relógio explodiu dentro do cinema Apolo XI, em Cajazeiras, matando um policial militar e um funcionário do cinema

Por Jocivan Pinheiro

22/01/2018 às 16h32 • atualizado em 22/01/2018 às 16h33

Em 2018 um dos fatos históricos mais emblemáticos e controversos do período do regime militar no Brasil completa 43 anos. E este é o tema do comentário de Olivan Pereira na coluna Direto ao Ponto da semana.

Foi no dia 2 de julho de 1975 que uma bomba-relógio explodiu dentro do cinema Apolo XI, na cidade de Cajazeiras, Sertão paraibano, matando um policial militar e um funcionário do cinema. Na época o fato repercutiu até na aclamada revista norte-americana Time.

VEJA TAMBÉM: Atentado a bomba no Apolo XI é destaque mais uma vez no Jornal de Pernambuco

Segundo Olivan, há quem diga que o objetivo era matar o então bispo da Diocese local, Dom Zacarias Rolim de Moura. Mas uma das controvérsias que envolve esse acontecimento diz que o próprio bispo sabia quem colocou a bomba no cinema, mas não entregou o suspeito à polícia porque este teria feito a confissão do crime na igreja, e uma das regras para padres católicos é que eles não podem, em hipótese alguma, revelar confissões de fiéis.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Se reforma da Previdência não cortar privilégios, sociedade deve ‘gritar’ contra ela, diz padre

INFRAESTRUTURA

VÍDEO: Chuvas destroem ruas de Cajazeiras que não são pavimentadas e moradores cobram ação da Prefeitura

VETERANO DA MÚSICA

VÍDEO: Em Cajazeiras, cantor de renome nacional critica sertanejo universitário: “Virou uma baderna”

COBRA REAJUSTE DE 2018

VÍDEO: Sindicalista elogia Zé Aldemir por salário de professores, mas diz que felicidade é ‘entre aspas’