header top bar

section content

VÍDEO! Casas construídas irregularmente em áreas públicas são demolidas na cidade de Sousa

A prefeitura vai custear os alugueis para as pessoas que ficaram desabrigadas e ainda irá construir residências para as famílias mais carentes

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

30/05/2018 às 17h03 • atualizado em 30/05/2018 às 17h04

Casas construídas irregularmente na Rua José Gadelha de Oliveira na cidade de Sousa, no Sertão da Paraíba, foram demolidas nesta quarta-feira (30) em cumprimento a determinação judicial do promotor de justiça, Hamilton de Sousa Neves. As residências foram construídas irregularmente em áreas públicas.

Alguns moradores estavam revoltados com a decisão da justiça, mas ao final, todos deixaram as residências de forma pacífica.

De acordo a Secretária de Planejamento do Município, Priscilla Alves, a prefeitura acatou o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) e fez a notificação dos moradores que abandonaram as residências durante a manhã. A demolição das residências foi feita durante no período da tarde.

Casas foram demolidas na cidade de Sousa (foto: Charley Garrido)

“Essas imóveis são necessárias, é uma determinação do ministério público que tivemos que cumprir. Todas as pessoas serão cadastradas em um programa social para que sejam contempladas no programa Habitacional Silvana Braga”, disse a secretária.

A prefeitura vai custear um aluguel para as pessoas que ficaram desabrigadas.

Ouça abaixo a entrevista com a secretária de planejamento:

Veja fotos:



DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

ESPECIAL DE PÁSCOA

VÍDEO: TVDS exibe programa ‘Mensagem de Fé com Frei João Batista’ em especial de Semana Santa

FÉ E DEVOÇÃO

Sexta-feira Santa em Cajazeiras é marcada por várias celebrações religiosas e grande número de fiéis

SAÚDE

VÍDEO: Xeque Mate fala sobre a obesidade e médica endocrinologista tira dúvidas sobre a doença; Veja!

SEMANA SANTA PARA OS EVANGÉLICOS

VÍDEO: Pastor fala sobre significado da Páscoa para os protestantes: “É o sacrifício e a libertação”