header top bar

section content

Gasto com pessoal, acumulação ilegal de emprego e mais 11 itens leva TCE alertar prefeito de Cajazeiras

O alerta partiu do Conselheiro Substituto Oscar Mamede Santiago, em conformidade do entendimento técnico do no Relatório de Gestão.

Por Luzia de Sousa

09/08/2018 às 16h33

Zé Aldemir, prefeito de Cajazeiras

O Tribunal de Contas do Estado emitiu um alerta nesta quinta-feira (9), ao município de Cajazeiras, administrado pelo prefeito José Aldemir (PP).

+ São João do Rio do Peixe, Cajazeiras e mais 13 prefeituras recebem alertas do Tribunal de Contas

O alerta partiu do Conselheiro Substituto Oscar Mamede Santiago, em conformidade do entendimento técnico contido no Relatório de Acompanhamento da Gestão.

+ Prefeituras da Região de Cajazeiras gastam mais de R$ 15 milhões com servidores; Zé Aldemir e Airton Pires lideram empregos a apadrinhados

Segundo o relator, 13 itens devem ser corrigidos pelo prefeito, são elas:

1. Déficit Orçamentário;
2. Tendência de ocorrência de déficit financeiro;
3. Vinculação de Despesas ao FUNDEB 40% acima das disponibilidades de recursos;
4. Ausência de individualização das receitas patrimoniais decorrentes de recursos do FUNDEB;
5. Não aplicação do percentual mínimo de 15% pelos Municípios, do produto da arrecadação de impostos e transferências constitucionais em ações e serviços de saúde pública;
6. Aquisições de medicamentos com indícios de irregularidades;
7. Gastos com Pessoal do ente Municipal acima do limite legal (60% da RCL);
8. Gastos com Pessoal do Executivo, sem incluir contribuição patronal, acima do limite legal previsto no art. 20 da LRF (54% da RCL);
9. Indícios de ocorrência de acumulações ilegais no âmbito do Poder Executivo Municipal;
10. Elevado crescimento do número de pessoal contratado entre janeiro e abril de 2018;
11. Observar o limite estabelecido no art. 29 A, CF, para os repasses ao Legislativo;
12. Ausência de recolhimento regular das obrigações patronais devidas ao RGPS;
13. Indícios de irregularidade no recolhimento de obrigações patronais devidas ao órgão responsável pelo RPPS.

O outro lado
Em contato com assessoria de imprensa da prefeitura, esta explicou que a Procuradoria Jurídica juntamente com o setor contabilidade deverá se reportar posteriormente sobre o alerta.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS

VÍDEO: Diretor do HRC esclarece morte de jovem após parto cesariano e diz que pré-natal não foi regular

BEM RECEBIDO NA PB

VÍDEO: Bolsonaro é recebido com festa em Campina Grande e compartilha imagens em suas redes sociais

MUDANÇA DE VIDA

VÍDEO: Em Cajazeiras, Thiago Brado relata por que deixou de cantar em bares para ser artista católico

PRINCIPAIS ALVOS

VÍDEOS: Lula é carregado por multidão e ataca Globo, Moro e Bolsonaro em discurso no ABC: “Tô de volta”