header top bar

string(13) "diario-sertao"

section content

É CRIME! Atenção consumidor, advogado sousense fala do aumento das “vendas casadas”. VÍDEO!

A Venda Casada é Proibida pelo inciso I do artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor (CDC),

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

10/09/2018 às 11h10 • atualizado em 10/09/2018 às 11h20

Condicionar a compra de um item à aquisição de outro produto ou serviço é o que caracteriza a venda casada. O advogado sousense, Cláudio Diniz, citou exemplos dessa prática abusiva, proibida pelo Código de Defesa do Consumidor.

Imagine que você deseja comprar um carro e, na concessionária, informam que só é possível adquirir o veículo caso leve também um seguro. Esse seria um típico caso de “venda casada” – que significa condicionar a compra de um produto ou serviço à aquisição de outro, sem necessidade técnica para isso.

Essa prática é abusiva e proibida, de acordo com o artigo 39, I, do Código de Defesa do Consumidor (CDC). No entanto, ela ainda é muito frequente em diversos tipos de serviços. Por exemplo, a inclusão de cartão de crédito na abertura de uma conta bancária, ou de garantia estendida na compra de um produto sem consentimento do cliente.

O que fazer?
Em comum, todos essas situações inibem a liberdade de escolha do consumidor. Por isso, a venda casada é considerada um crime contra a ordem econômica e contra as relações de consumo.

O consumidor que se sentir prejudicado pode procurar o Procon municipal ou estadual, ou até mesmo um advogado de sua confiança, para tentar resolver o problema.

DIÁRIO DO SERTÃO

BLACK FIADO

VÍDEO: Conheça a versão mais popular da Black Friday que agita o comércio de Cajazeiras durante 30 dias

DESTAQUES DA SEMANA

VÍDEO: Repercussão da entrevista de José Aldemir encabeça as polêmicas do Direto ao Ponto desta terça

PROGRAMA DE MÚSICA

VÍDEO: Confira as novidades que vêm aí na nova temporada do Acústico Diário com cantor cajazeirense

VÍDEO

Secretário responde a sindicato e diz que acusações contra prefeito de Cajazeiras podem parar na Justiça