header top bar

section content

CHAMA ATENÇÃO: Limão ‘gigante’ é colhido em propriedade rural de cidade da Região de Cajazeiras

Os limoeiros são árvores pequenas (não atingem mais de 6 metros de altura), espinescentes, muito ramificadas.

Por Luzia de Sousa

17/09/2018 às 17h48

Limão é da propriedade de Seu Didi em Bom Jesus

No quintal da casa do agricultor Emanuel Bezerra, mais conhecido por Didi, morador da comunidade Mastruz, município de Bom Jesus, Sertão da Paraíba foi colhido esta semana um limão “gigante”.

Segundo informações da filha de Seu Didi, os frutos desse limoeiro geralmente são maiores que os tradicionais e o fato vem chamando a atenção da população.

“Até os menores limões fogem do padrão dos demais, pois são maiores que todos”, observou Lidiane Bezerra.

Sobre o assunto
Os limoeiros são árvores pequenas (não atingem mais de 6 metros de altura), espinescentes, muito ramificadas, de caule e ramos castanho-claros; as folhas são alternas, oblongo-elípticas, com pontuações translúcidas; as inflorescências são de flores axilares, alvas ou violeta, em cacho. Reproduz-se por estacas de galhos, em solo arenoso e bem adubado, de preferência em regiões de clima quente ou temperado.

Propaga-se também por sementes, que requerem solo leve, fértil e bem arejado, em local ensolarado e protegido dos ventos. Frutifica durante todo o ano, em inúmeras variedades, que, embora mudem no tamanho e na textura da casca, que pode ser lisa ou enrugada, quanto à cor, variam do verde-escuro ao amarelo-claro, exceto uma das espécies, que se assemelha a uma tangerina.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

COBRA REAJUSTE DE 2018

VÍDEO: Sindicalista elogia Zé Aldemir por salário de professores, mas diz que felicidade é ‘entre aspas’

ANALISAR MELHOR FORMA

Presidente da OAB Nacional diz que irá discutir modelo legal para a questão do armamento no Brasil

PARTICIPE!

Retiro de Carnaval de Pombal recebe adesão de fiéis para a execução do maior evento religioso da cidade

SANTA MARIA

VÍDEO: Faculdade de Cajazeiras é contraponto a injustiças sociais e falta de ‘gentilezas’, diz diretora