header top bar

section content

Estudioso prevê chuvas variando de normais a abaixo da média em 2019 no Sertão da Paraíba

De acordo com o estudioso há um aspecto favorável para as chuvas no interior do Estado esse ano

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

01/02/2019 às 11h21

Chuva anima população em Sousa

O Cariri, Sertão e Alto-sertão da Paraíba terão chuvas variando entre a média e valores abaixo da média esse ano afirma o físico, meteorologista e mestre em Meteorologia Rodrigo Cézar Limeira.

De acordo com o estudioso há um aspecto favorável para as chuvas no interior do Estado esse ano, o Oceano Atlântico Norte está passando por um fenômeno chamado de Oscilação Multidecadal do Atlântico, que se iniciou nos primeiros meses de 2018 e que pode perdurar por alguns anos. Dessa forma o citado oceano encontra-se desde o início do ano passado mais frio que o normal, fato que favorece bons índices pluviométricos de chuvas para o interior do Estado durante a quadra chuvosa de fevereiro a maio desse ano.

Por outro lado a região central do Oceano Pacífico Equatorial encontra-se mais quente que o normal desde setembro de 2018, com tendência de configuração de um fraco episódio do fenômeno climático e oceânico El Niño nas próximas semanas. Mesmo se não configurasse o El Niño, só o fato da região central do Pacífico Equatorial estar com temperatura acima da média durante a quadra chuvosa de fevereiro a maio, já seria suficiente para influenciar na distribuição das chuvas no semiárido do Estado.

Além disso, o Oceano Atlântico Sul na altura da costa leste do Nordeste vem desde 2012 com tendência de esquentar abaixo do normal, fato que colaborou muito para a grande crise hídrica que atinge o interior do Estado da Paraíba desde o mencionado ano.

Para o estudioso a perspetiva é de encerramento da quadra chuvosa do semiárido do Estado na segunda quinzena de abril, fato característico de anos de El Niño.

O Atlântico Sul na altura da costa leste do Nordeste está quente desde novembro de 2018, algo que muitas vezes ocorre em anos de El Niño, o mencionado oceano esquenta antes do normal, e também esfria antes do período normal.

O comum de acordo com o estudioso é o referido oceano esquentar significativamente em fevereiro mantendo-se quente até maio, e em 2019 esse aquecimento foi antecipado.

Para a região de Patos-PB a perspectiva é de chuvas abaixo da média histórica em 2019, com considerável irregularidade na distribuição espacial e temporal das chuvas, algo que terá impacto no armazenamento de água em seus grandes reservatórios, como é o caso dos mananciais de Coremas, Mãe d’ Água e Capoeira.

Estudioso prevê recargas menores para a maioria dos grandes açudes do interior do Estado em 2019:

A maioria dos grandes açudes que abastecem as cidades do interior do Estado da Paraíba terão recargas menores que ano passado, pontua Rodrigo Cézar Limeira.

Com o El Niño fraco, a perspectiva é de menos recargas em reservatórios como Coremas, Mãe d’ Água, Açude Cachoeira dos Cegos, Engenheiro Arcoverde, Lagoa do Arroz e Engenheiro Ávidos esse ano, em se comparando com o ano passado.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

SONHO REALIZADO

VÍDEO/FOTOS: Prefeitura de Cajazeiras realiza sorteio de 300 apartamentos e evento é marcado pela emoção

MUITA ÁGUA!

A MAIOR DA HISTÓRIA: ruas e avenidas em Sousa viram rios após fortes chuvas durante a madrugada. Veja!

SERTÃO EM DESTAQUE

VÍDEO: Com cajazeirense na vice-presidência, Paulo Maia toma posse para comandar OAB Paraíba até 2021

MODELOS DE SUCESSO

VÍDEO: Empresários do Pará interessados em implantar TV A CABO visitam Netline e TV Diário do Sertão