header top bar

section content

Grávida de 18 anos sente fortes dores na barriga e morre em hospital no Sertão. Veja!

De acordo com o laudo médico, a causa da morte foi uma infecção abdominal generalizada

Por

24/01/2016 às 10h13

Estudante tinha apenas 18 anos (foto: reprodução/Facebook)

Uma triste notícia chocou a população da pequena cidade de Curral Velho, no Vale do Piancó, no início da tarde deste sábado (23). A jovem estudante, Gleyciane Diniz, de apenas 18 anos, morreu no Hospital Regional da cidade de Patos, por volta do meio-dia.

Segundo as informações de testemunhas, a jovem começou a sentir fortes dores na região do abdome e foi socorrida pelo SAMU da cidade de Princesa Isabel (PB), na manhã deste sábado (23), quando estava na casa de seus familiares na cidade de Manaíra.

A primeira suspeita era que a jovem tivesse com os sintomas da dengue, já que a cidade de Manaíra está em alerta com uma possível proliferação do mosquito. O prefeito manairense já decretou Situação de Emergência. A jovem Gleyciane é natural de Manaíra, porém ao ficar órfã de pai e mãe desde sua infância, passou a ser criada por uma tia na cidade de Curral Velho.

A jovem passou por um procedimento cirúrgico por volta das 9h, ela estava na área vermelha do Hospital Regional de Patos, e por volta do meio-dia veio a óbito. A causa da morte foi uma infecção abdominal generalizada (laudo médico atesta)

A garota era estudante da escola Coronel Zuza Lacerda, onde tinha dezenas de amigas e se relacionava bem com toda a sociedade curralvelhense.

Fonte: Diamante Online

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”