header top bar

section content

Prefeitura de São José de Piranhas foi a que menos gastou diárias na região de Cajazeiras, aponta TCE

A atual gestão municipal tem se destacado pelo grande número de obras e investimentos e, mesmo assim, consegue economizar e equilibrar as suas contas públicas.

Por DIÁRIO DO SERTÃO com Ascom

12/01/2020 às 11h18 • atualizado em 12/01/2020 às 11h23

Prefeito de São José de Piranhas, Chico Mendes

Segundo dados expostos no Sagres do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, a Prefeitura Municipal de São José de Piranhas é uma das que menos gastou com diárias em toda a região polarizada por Cajazeiras. Boa parte dos municípios superou os R$ 100 mil nos três primeiros anos de gestão.

Já a Prefeitura de São José de Piranhas, que tem se destacado pelo número de obras e investimentos na atual gestão, gastou menos de R$ 2 mil em média, por mês, de diárias nos três anos. Proporcionalmente um valor muito pequeno pelo número de viagens a João Pessoa e Brasília.

“Muitas das vezes nem requisito porque me preocupo com as finanças do município e todos sabem do que estou falando”, disse o prefeito Chico Mendes.

VEJA TAMBÉM

Chico Mendes renovará frota municipal e anuncia investimento de R$ 2 milhões em calçamento

Levantamento completo mostra que gastos com diárias do prefeito de Sousa ultrapassam R$ 130 mil

“As contas da Prefeitura de São José de Piranhas são pagas sempre com antecedência e o funcionalismo dorme tranquilo. É um direito de cada gestor, mas o uso de diárias é calculado com extrema cautela para não acontecer como aos outros gestores: gastos exorbitantes e obra que é bom, nada”, concluiu Chico Mendes.

Recomendado para você pelo google

PROBLEMA SOCIAL

VÍDEO: Conselho Tutelar notifica pais por causa de crianças pedindo nos semáforos de Cajazeiras

OPÇÃO RELIGIOSA

VÍDEO: Retiro de Carnaval de Pombal anuncia programação da 35° edição com atrações a nível nacional

CAMPEONATO PARAIBANO

VÍDEO: Wesley, Éder Paulista e o técnico Ederson Araújo aprovam estreia do Atlético e elogiam a torcida

FALTA DE COMODIDADE

Professora cobra fiscalização na ocupação de calçadas por comerciantes que interfere a mobilidade urbana