header top bar

section content

VÍDEO: Morre na Paraíba, aos 93 anos, a lendária Zabé da Loca; artista lutava contra o Mal de Alzheimer

Zabé tinha Alzheimer e morreu na manhã deste sábado (5). Velórios e enterro acontecem em Monteiro

Por Jocivan Pinheiro

05/08/2017 às 16h19 • atualizado em 05/08/2017 às 16h23

A artista Zabé da Loca morreu na manhã deste sábado (5), na comunidade Santa Catarina, zona rural de Monteiro, no Cariri da Paraíba. As primeira informações repassadas pela família são de que Zabé estava com 93 anos de idade e morreu em casa de morte natural. Nos últimos anos ela lutava contra a doença de Alzheimer.

Ainda segundo a família, o corpo da pifeira foi velado em casa durante toda a manhã deste sábado e à tarde o velório aconteceu no Memorial Zabé da Loca, no sítio Tungão, fazenda Santa Catarina.

Haverá velório também no domingo (6) no Centro Cultural de Monteiro, às 7h. O sepultamento será às 10h, no cemitério municipal de Monteiro.

A Prefeitura de Monteiro decretou luto oficial de três dias, de sábado até a segunda-feira (7), de acordo com a assessoria de comunicação.

Loca onde Zabé morou durante 25 anos

Isabel Marques da Silva, a Zabé da Loca, ficou bastante conhecida por morar durante 25 anos dentro de uma pequena gruta (loca) na comunicade Santa Catarina, zona rural de Monteiro. Inclusive, o apelido surgiu por esse motivo.

E foi por esse motivo que ela teve que deixar a gruta e ir morar na casa de uma das filhas. Em 2003, aos 79 anos, gravou o seu primeiro CD, “Canto do Semi-Árido”, com composições próprias e versões de Luiz Gonzaga e Humberto Texeira.

Zabé na sua loca e o inseparável pífano

Zabé da Loca

Nascida em Buíque, Pernambuco, ainda adolescente Zabé foi para o município de Monteiro, no Cariri da Paraíba, e depois de mais de duas décadas morando na gruta, ganhou uma casa em um assentamento do Incra no processo de reforma agrária.

Além do pífano, a vida passada na antiga loca define a figura de Zabé. O apelido acabou por virar seu nome artístico. Ela ainda morava na gruta quando foi descoberta, aos 79 anos, pelo pessoal do projeto Dom Helder Câmara, do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Saída da loca, Zabé foi ganhando reconhecimento. Aos 85 anos, recebeu o prêmio Revelação da Música Popular Brasileira em 2009. Ela colecionou diplomas importantes e muitas viagens de trabalho.

Do G1 PB

SANTO PADROEIRO

VÍDEO: Padre anuncia programação da festa de Dom Bosco em Cajazeiras; festival de música é confirmado

FÓRUM AÇUDE GRANDE

VÍDEO: Grupo entrega documento no MP para fortalecer campanha de revitalização do açude de Cajazeiras

"FICOU DESPREZADA"

VÍDEO: Mulher acusa HRC de negligência no caso da morte de sua irmã após parto; hospital responde

ESTÁ NA CAPITAL DESDE 2015

EXCLUSIVO: Após três anos, lendário padre de Cajazeiras revela o que motivou sua ida para João Pessoa