header top bar

string(13) "diario-sertao"

section content

SUPERAÇÃO: Deficiente, universitária viaja mais de uma hora para estudar no Sertão da Paraíba

O Coordenador de Matemática, Ginaldo Farias destacou que a estudante é um exemplo de superação.

Por Luzia de Sousa

09/06/2018 às 10h06

A universitária Judite Ferreira, 37 anos, moradora da cidade de São José do Egito, Estado do Pernambuco viaja diariamente mais de uma hora e meia para estudar Matemática na Universidade Estadual da Paraíba, Campus de Patos, Sertão da Paraíba.

A estudante é de uma família de 12 irmãos, ela e outro irmão nasceram com Síndrome de Larsen, mas só Judite sobreviveu.
A deficiência não foi barreira para os estudos, e a sertaneja de Pernambuco teve que convencer os pais para que pudesse entrar na universidade.

O Coordenador de Matemática da UEPB, Ginaldo Farias destacou que a estudante é um exemplo de superação. “É uma das alunas mais assíduas”.

Síndrome
A síndrome de Larsen trata-se de uma rara desordem de origem genética, normalmente de caráter autossômico dominante, que afeta o desenvolvimento dos ossos e caracteriza-se pela ocorrência de luxações e deslocamentos ainda no útero materno. Em raros casos, a síndrome de Larsen pode ter caráter recessivo.

DIÁRIO DO SERTÃO

ASSISTA

VÍDEO: ‘Mensagem de Esperança’ debate o mundo e o mal, sexo e outros temas

PARTICIPE!

VÍDEO: Gerente do Sebrae fala de revolução tecnológica em feira de Cajazeiras e convida empreendedores

PLANOS E METAS

VÍDEO: Cantor explica como pretende administrar o Atlético e declara que o problema do clube é político

CAMPEONATO PARAIBANO 2019

VÍDEO: Após vistoria técnica, representantes da CBF elogiam o estádio Perpetão: “É um dos melhores”