header top bar

section content

Radialista, anuncia volta ao Rádio e taxa clube de Cajazeiras de “chumbinho”. Vídeo

“Dizia que Sousa não tinha políticos, e não tinha cão que fizesse o campo da cidade”. Declarou o radialista sobre o campo.

Por

30/07/2014 às 17h14

O Frente a Frente da TV Diário do Sertão entrevistou o comentarista Jorge Abrantes

O programa Frente a Frente da TV Diário do Sertão entrevistou nesta terça-feira (29), o comentarista esportivo e professor sousense, Jorge Abrantes.

O comentarista falou do time Duque de Caxias em Cajazeiras, e os jogadores famosos da terra do Padre Rolim e Sousa, na década de 70. “Sempre existiu essa rivalidade de Sousa e Cajazeiras”

O radialista revelou que veio apitar um jogo do Duque de Caxias em Cajazeiras e passou sufoco. “Foi um rebu grande porque eu só apitava o jogo quando somente os jogadores estavam em campo, e tiveram que tirar um político importante do local”

Ele lembrou da dificuldade em conseguir a construção do Marizão na cidade de Sousa. “Dizia que Sousa não tinha políticos, e não tinha cão que fizesse o campo da cidade”.

Irreverente, o radialista contou suas participações nas transmissões dos jogos sousenses. “Entrei no jogo montado num jumento, vestido de mãe, caia no campo, abraçava os jogadores na hora do gol. Isso era uma festa”.

Jorge Abrantes revelou também, que fez uma participação na Rede Globo transmitindo um jogo sousense. “Eles queriam alguma coisa diferente no jogo e me escolheram”.

O comentarista disse que gosta muito de Cajazeiras. “Os torcedores de Cajazeiras me chamavam de viado, e eu dizia: Eu não sou não, mas aí na arquibancada está cheio. Mas isso era só pela audiência, pela festa”.

Notas
O sousense deu 10 a imprensa e justificou: “Evoluiu um pouco, muito embora as nossas emissoras da cidade pertençam a grupos políticos, e o profissional que vai para lá, vai para defender um lado”.

O radialista deu 10 ao time sousense e disse: “É um guerreiro. Levou o nome de Sousa para o país inteiro, é bicampeão paraibano e traz muitas alegrias ao povo”.

Ele revelou que foi demitido do Rádio e relevou: “Foi por ciúmes do meu sucesso. Fizeram uma jogada. Aqui ninguém pode aparecer como radialista que pensam logo que ele quer entrar na política. Tinha os melhores patrocinadores”.

O comentarista revelou também, que recebeu convite de uma emissora de rádio e de uma televisão para voltar a participar dos jogos.  “Vamos ver aí”

O radialista deu nota 10 para Aldeone Abrantes, presidente do Sousa. “O time não tem nada, apenas a camisa e o espírito guerreiro de Aldeone. Acho que ele teme deixar o Sousa porque sua vida está ligada ao time”.

Jorge Abrantes revelou também que foi perseguido politicamente. “Sou professor e fui transferido para outra cidade”.

Ele deu nota 10 ao Governo de André Gadelha. “Está no grande momento. Não sei com quem ele aprendeu a fazer política porque é muito jovem e já lidera esta área”.

Zero
O comentarista deu zero ao Atlético de Cajazeiras. “É o chumbinho de Cajazeiras. É pela rivalidade. Cajazeiras sempre teve uma imprensa muito boa. Tem a resenha esportiva. O esporte tem espaço e bons profissionais”

O sousense deu zero para ele mesmo como político. “Não passa pela minha cabeça”. Ele também deu zero a política no esporte. “Acho que atrapalha sim”.

Jorge deu zero a ex-presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Rosilene Gomes. “Graças a Deus que ela saiu”.

Veja o vídeo!

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:

Recomendado para você pelo google

PADROEIRO

VÍDEO: Festividades de São José, em Bom Jesus, chegam ao fim com eventos de esporte e shows no distrito

COM OLIVAN PEREIRA

VÍDEO: Nomeações em Cajazeiras, dia de São José e Zona Azul são os destaques do Direto ao Ponto de hoje

INDICAÇÕES DE CARGOS

VÍDEO: ‘Caça às bruxas’ de Jeová e Júnior pode render 2 mil votos para Zé Aldemir em 2020, diz colunista

INCENTIVO À CULTURA

VÍDEO: Projetos aprovados pelo FUMINC em Cajazeiras poderão ser anunciados na segunda semana de abril