header top bar

section content

PM estoura boca de fumo e prende três pessoas; houve troca de tiros e um dos acusados saiu ferido. FOTOS!

Os acusados foram levados até a delegacia de polícia civil da cidade de Cajazeiras onde foram ouvidos pelo delegado de plantão. Confira os detalhes!

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

01/05/2016 às 12h30 • atualizado em 01/05/2016 às 12h45

Acusados foram presos pela polícia em Cachoeira dos Índios (foto: polícia militar)

Uma ação policial realizada na madrugada deste sábado (30) no município de Cachoeira dos Índios, na região de Cajazeiras, estourou uma boca de fumo e prendeu três pessoas. Houve troca de tiros e um dos acusados acabou sendo baleado com um disparo na perna.

De acordo com a polícia militar, a polícia teria cercado a residência onde funcionava como ponto de comercialização de entorpecentes, mas os suspeitos ao avistarem a viatura, tentaram fugir e atiraram contra os militares e iniciou a troca de tiros.

O acusado Williams de Sousa Morais, mais conhecido como “Dodô” foi atingido com um tiro na perna esquerda. Outros dois comparsas também foram presos: Delânio da Rocha Silva, de 30 anos e Magnália Gomes Duarte, de 20 anos, proprietária da casa.

Material apreendido pela polícia militar (foto: PM)

Material apreendido pela polícia militar (foto: PM)

Na residência foram apreendidos: 32 pedras de crack; 11 biribas de cocaína e um tablete de maconha.

Os acusados foram levados até a delegacia de polícia civil da cidade de Cajazeiras onde foram ouvidos pelo delegado de plantão.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

DONO DA CONSULTRAN

VÍDEO: Especialista em trânsito elogia Zona Azul de Cajazeiras, mas cobra ensino de trânsito nas escolas

QUER MAIS SEGURANÇA

VÍDEO: Cantor da região de Cajazeiras diz que consumo de drogas nas festas dificulta fechar contrato

SAÚDE & BEM-ESTAR

VÍDEO: Em Cajazeiras, médica explica o que é ‘prato colorido’ para quem quer perder peso com saúde

BOMBA

VÍDEO: Jornalista cajazeirense mira nos ‘Bocas Loucas’ da política paraibana