header top bar

section content

TRAGÉDIA: Vídeo mostra desespero após assassinato de jovem em escola. ASSISTA!

Em outro vídeo, assassino confessa o crime

Por Luzia de Sousa

07/11/2017 às 10h20 • atualizado em 07/11/2017 às 10h31

Alunos e funcionários do Colégio Estadual 13 de Maio, em Alexânia (GO), no Entorno do DF, viveram momentos de terror nesta segunda-feira (6/11). O assassinato da estudante Raphaella Noviski, 16 anos, morta com 11 tiros enquanto assistia a uma aula no local, causou pânico e correria entre os que estavam na escola. Os instantes foram capturados por câmeras de segurança.

No vídeo, é possível ver o momento em que colegas saem correndo da sala onde estudava a vítima após um estampido. Por conta dos gritos e do barulho dos tiros, pessoas que estavam em outras classes também se apressaram para entender o que acontecia. No fim da gravação, as câmeras mostram o assassino confesso Misael Pereira, 19 anos, fugindo do local.

Uma jovem que estava em uma sala ao lado da de Raphaella relatou ao Metrópoles que, antes dos disparos, Misael ameaçou a vítima e ela teria sorrido. “Em seguida, a estudante correu e caiu. Naquele momento, ele atirou contra Raphaella. Depois, ficou desnorteado, corria de um lado para o outro”, descreveu a adolescente, que não quis se identificar.

O depoimento do assassino à polícia leva a crer que o crime tenha sido motivado por rejeição amorosa. Segundo as investigações, Misael tentou manter um relacionamento com a jovem e a cortejou em diferentes ocasiões. No entanto, Raphaella não teria demonstrado interesse e, por conta disso, sido ameaçada e morta pelo acusado.

Em outro vídeo obtido pela reportagem, Misael alega que não havia contado de seu plano para ninguém e demonstra frieza. Ele afirma que matou Raphaella porque a “odeia”, mas negou ter sofrido qualquer tipo de violência ou desprezo por parte da vítima. Quando questionado sobre razão do ódio, disse “não conseguir explicar”.

Na gravação, o assassino confesso afirma ainda que a escolha desta segunda-feira para o crime não teve nenhum motivo especial e dá indícios de te planejado o assassinato. “Eu só tava (sic) esperando preparar tudo. Aí, quando ficou pronto, eu falei: agora é só ir lá na hora que eu quiser e eu mato”, disse à delegada Rafaela Azzi, responsável pelo caso.

Gravações feitas por câmeras de segurança registram correria de estudantes

Luto
Nas redes sociais, amigos e familiares de Raphaella Noviski fizeram postagens lamentando a morte da jovem. Em uma das publicações, um colega de escola afirma: “Não há nada capaz de reparar uma perda como esta, mas, em nome da amizade e amor de quem fica, e em honra da memória de quem se foi, é preciso continuar vivendo. É preciso transformar o luto em uma luta pela vida e pela felicidade, e transformar a dor em saudade e serenidade”.

À reportagem, a avó da jovem reforçou apelos por Justiça. “Nunca imaginei que ele morasse tão perto. Agora, espero que fique amarrado e pague pelo que fez”, disse a aposentada Antônia Afonso Pereira da Silva. O assassino vivia a duas ruas da casa onde a vítima morava com os avós e a irmã.

Crime
Raphaella Noviski foi morta por volta das 8h desta segunda-feira (6). Misael pulou o muro da escola e conseguiu entrar na sala de aula. Após o crime, ele foi preso pela Polícia Militar da cidade e confessou o assassinato. O rapaz deve responder por feminicídio e, caso seja condenado, pode pegar até 30 anos de reclusão.

O enterro de Raphaella está marcado para esta terça-feira (7), em Alexânia.

Metrópoles

Tags:

Recomendado para você pelo google

VÍDEO

Capitão da PM conta que vítima de tiros em Cajazeiras fez revelação sobre crime antes de morrer

VÍDEO

No Sertão, Ricardo Coutinho rebate presidente da assembleia e manda recado duro para governador da PB

SAÚDE PÚBLICA

VÍDEO: Mensagem Empresarial recebe especialista em saúde pública e fala de práticas integrativas do SUS

DESCONTRAÇÃO

VÍDEO: Sucesso na internet, Gleyfy Brauly e MC Nem animam o programa Xeque Mate dessa semana