header top bar

section content

Polícia prende suspeito de estelionato que ‘vendia’ vagas falsas de emprego em Fortaleza

Mais de 40 vítimas caíram no golpe, segundo a Polícia Civil.

Por Luzia de Sousa

15/12/2017 às 07h15 • atualizado em 15/12/2017 às 08h22

Estudo indica aumento nos empregos na Paraíba

Um homem foi preso suspeito de estelionato por aplicar um golpe em mais de 40 vítimas com a oferta de vagas de empregos em troca de dinheiro em Fortaleza. O suspeito foi preso na terça-feira (12), após investigação dao 13º Distrito da Polícia Civil, no Bairro Cidade dos Funcionários.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o suspeito se passava por agente operacional do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) e da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) para recrutar pessoas com a promessa falsa de emprego. O homem cobrava de R$ 350 a R$ 500 para as vítimas terem acesso às supostas oportunidades.

As pessoas enganadas realizavam os exames admissionais e os repassavam para o suspeito. Após os pagamentos, o investigado preenchia um formulário com papel timbrado das empresas, mas as vítimas não conseguiam o trabalho.

O homem foi preso em flagrante quando se preparava para aplicar o golpe contra uma pessoa no Bairro Aerolândia. De acordo com o delegado Hélio Marques, mais de 40 vítimas registraram Boletins de Ocorrência contra o suspeito. Ele foi encaminhado para a sede do 13° DP, onde foi autuado em flagrante por estelionato.

A Polícia Civil agora mantém as investigações visando identificar e prender outras pessoas que possam estar envolvidas no esquema criminoso.

G1

Tags:
VISITA TÉCNICA

Após reclamações, vereadores constatam muitos veículos quebrados na garagem da prefeitura de Cajazeiras

LAMENTÁVEL

LAMENTÁVEL: vigilante morre assassinado a tiros ao reagir a assalto em posto de combustíveis em Sousa

ELEIÇÃO DA FEDERAÇÃO

VIXE: Para Aldeone, falta de apoio a Arlan Rodrigues na FPF foi covardia e Cajazeiras está “ensinando a Paraíba a trair”

CRÍTICA E CONSELHO

Jornalista diz que rádio de Cajazeiras está ultrapassado e precisa repensar conteúdo para não ‘morrer’