header top bar

section content

Homens jogam querosene em grávida e ameaçam tocar fogo durante assalto na PB

Assalto aconteceu a um mercadinho e correspondente bancário

Por G1

08/05/2018 às 08h48

Correspondente bancário funciona ao lado do mercadinho, em Campina Grande (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)

Uma mulher grávida de três meses teve o corpo coberto por querosene durante um assalto a um mercadinho no bairro da Ramadinha II, em Campina Grande. Um dos assaltantes ameaçou tocar fogo nela caso não abrissem o correspondente bancário que funciona ao lado do estabelecimento. O assalto aconteceu na última sexta-feira (4).

Segundo o dono do mercadinho e pai da grávida, ele e os três filhos foram reféns dos assaltantes. Quatro homens armados e encapuzados chegaram em um carro preto e anunciaram o assalto. Um outro suspeito permaneceu no veículo para dar suporte à ação.

Além dos funcionários, alguns clientes também foram rendidos. Duas crianças estavam no local e foram obrigadas a deitar no chão até o assalto terminar.

A mulher grávida é funcionária do correspondente bancário. Um dos assaltantes jogou querosene no corpo dela e ameaçou tocar fogo caso não abrisse a porta do caixa. Ela abriu e os quatro suspeitos roubaram o dinheiro do correspondente bancário e do mercadinho.

Segundo o dono do estabelecimento, o assalto durou cerca de dez minutos. Na saída, os assaltantes ainda atiraram para cima. A grávida está bem e não houve feridos. Os suspeitos conseguiram fugir.

G1

Fonte: G1 - https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/homens-jogam-querosene-em-gravida-e-ameacam-tocar-fogo-durante-assalto-na-pb.ghtml

Recomendado para você pelo google

PROTESTO

VÍDEO: populares vão às ruas para protestar contra a reforma da Previdência na cidade de Patos

VEJA VÍDEO

Padre de Cajazeiras revela curiosidades sobre o santo casamenteiro: “Faz milagre a pessoa encalhada”

SAÚDE

Dieta milagrosa? Médico diz que a compulsão e afetividade pela comida são perigosas para o emagrecimento

VÍDEO

Mototaxista reclama de multa cobrada na Zona Azul da cidade de Cajazeiras; “Está errado”