header top bar

section content

Cabo da Polícia Militar acusado de estuprar enteada de 12 anos em Cajazeiras é expulso da corporação

Crime foi descoberto em 2016 após a vítima ser achada escondida em casa abandonada. Portaria da expulsão foi publicada no Diário Oficial do Estado

Por G1 PB

11/08/2018 às 21h13

Portaria da expulsão foi publicado no DOE-PB (Foto: DOE-PB/Reprodução)

Um cabo da Polícia Militar da Paraíba acusado de estupro de vulnerável contra a enteada foi expulso da corporação neste sábado (11). A portaria com a expulsão do policial foi assinada pelo comandante-geral da PMPB, coronel Euller Chaves, e publicada no Diário Oficial do Estado da Paraíba (DOE-PB). O nome do policial foi omitido nesta reportagem para não expor a vítima.

Conforme a portaria, os crimes foram descobertos em junho de 2016, após a vítima, que à época tinha 12 anos, ser achada em uma casa abandonada próximo a casa da mãe do acusado, depois de ter fugido de casa.

A menina contou aos policiais que saiu de casa por não aguentar os abusos, que eram praticados em um sítio de propriedade do policial. Ela disse, ainda, que não denunciou para a mãe pois sofria ameaças.

O policial foi denunciado pelo Ministério Público da Paraíba por estupro de vulnerável e a ação penal tramita na 2ª Vara da Comarca de Cajazeiras, em segredo de Justiça. O homem é acusado de praticar atos libidinosos e conjunção carnal contra a enteada.

VEJA TAMBÉM: Criança de 1 ano morre após ser espancada pelo padrasto na Paraíba

Além da acusação de estupro, o policial também responde a uma ação penal militar por ter praticado o crime de deserção, após ter sido denunciado. Um mandado de prisão preventiva foi expedido e a ação tramita na Vara da Justiça Militar da Paraíba.

De acordo com a portaria, a conduta do cabo afronta a honra pessoal, o pundonor, a ética e o decoro da classe dos policiais militares, uma vez que o condenado “agiu em desacordo com os preceitos disciplinares, morais e éticos da Corporação, tornando-se, assim, um mau exemplo perante o dignos homens e mulheres” da Polícia Militar.

O cabo Melo entrou na Polícia Militar em 19 de julho de 1989 e estava lotado no 6º Batalhão da PM, em Cajazeiras. A portaria de expulsão também determina a apreensão das armas de fogo, objetos e identidade militar que estavam sob posse do policial.

Fonte: https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2018/08/11/cabo-da-pm-acusado-de-estuprar-enteada-de-12-anos-e-expulso-da-corporacao-na-pb.ghtml

SHOW AO VIVO

VÍDEO: Banda da cidade de Baixio, no Ceará, agita o programa Balanço Diário com sucessos do forró

PROGRAMA PSICOLOGIA NO AR

VÍDEO: Professora e alunos falam sobre a importância da campanha Setembro Amarelo para prevenir suicídio

SETEMBRO AMARELO

VÍDEO: Médico psiquiatra e padre de Cajazeiras debatem sobre causas, efeitos e prevenção ao suicídio

ENTREVISTA

VÍDEO: Pastor declara que católicos e evangélicos do Brasil devem se unir contra partidos de esquerda