header top bar

section content

Homicídio no sertão: jovem de 24 anos é morto a tiros durante a noite na cidade de Pombal

O Corpo foi encaminhado para o NUMOL da cidade de Patos, onde passará por exame cadavérico.

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

27/12/2018 às 08h40

A vítima foi um jovem de 24 anos, morto a tiros em Pombal

Mais um crime de homicídio entrou para as estatísticas policiais na cidade de Pombal, Sertão do estado.

Um jovem de apenas 24 anos foi morto a tiros na noite de quarta-feira (26), no bairro Nova Vida.

Segundo informações da Polícia Militar, dois homens em uma moto chegaram naquela localidade, e ao avistarem o jovem, efetuaram vários disparos de arma de fogo contra ele. Após a ação delituosa, os homens foragiram do local.

Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foram acionadas, estiveram no local e constataram o óbito.

O jovem foi identificado como Jorge André Alves de Sousa.

A Polícia esteve no local, realizou diligências, mas os suspeitos não foram localizados.

Segundo o comandante da 3ª companhia de polícia militar, tenente Cascudo, o crime teria sido motivado por ciúmes, onde o ex-marido da atual companheira da vítima, não se conformando com o fim do relacionamento, teria posto um fim na vida de Jorge. A companheira de Jorge e sua enteada reconheceram o suspeito.

O Corpo foi encaminhado para o NUMOL da cidade de Patos, onde passará por exame cadavérico.

Essa é a 12ª morte registrada em 2018 na cidade de Pombal.

+ CONFIRA OS NÚMEROS: Mais de 30 homicídios foram registrados em 2018 na cidade de Sousa e região

DIÁRIO DO SERTÃO

FUTEBOL

VÍDEO: Diário Esportivo traz resumo da 2ª rodada do Paraibano e detalhes da nova contratação do Atlético

COM CHICO CARDOSO

VÍDEO: ‘Briga’ entre Zé Aldemir e Airton, e Tyrone com os Gadelhas são os destaques do Direto ao Ponto

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Advogadas tiram dúvidas sobre Previdência Social e criticam atendimento no INSS de Cajazeiras

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Júnior e Jeová começam a ganhar cargos em Cajazeiras e “sinal vermelho foi ligado”, diz colunista