header top bar

section content

Duas mulheres são mortas a tiros em praça pública no Centro de Catolé do Rocha; um rapaz ficou ferido

De acordo com as primeiras informações colhidas pela Polícia Militar, as vítimas estavam lanchando na praça quando uma dupla de moto se aproximou e abriu fogo.

Por Jocivan Pinheiro

07/01/2020 às 22h07 • atualizado em 07/01/2020 às 22h28

As vítimas fatais Adriana da Silva Gomes, de 20 anos, e Maria Clara Rodrigues, de 18 anos

Três pessoas foram baleadas e duas delas morreram no Centro da cidade de Catolé do Rocha, no Sertão da Paraíba, na noite desta terça-feira (07). A polícia registrou o caso como duplo homicídio.

De acordo com informações repassadas ao Diário do Sertão pelo Sargento Ubiragir Pereira, da Polícia Militar de Catolé do Rocha, as vítimas estavam lanchando na praça Sérgio Maia, próximo à prefeitura, quando uma dupla de moto se aproximou e um deles abriu fogo.

Duas mulheres e um homem foram atingidos. As mulheres, identificadas como Maria Clara Rodrigues, de 18 anos, e Adriana da Silva Gomes, de 20 anos, morreram no local.

Já o rapaz, identificado como Renan da Silva Gomes, que é irmão de Adriana, teria sido socorrido ao hospital com sinais vitais. Ele teria sido atingido em uma das pernas.

A jovem Adriana da Silva Gomes residia no sítio Brejinho, no município de Brejo dos Santos-PB. Já sua amiga Maria Clara Rodrigues morava em Catolé do Rocha. A polícia procura suspeitos na região e investiga o que teria motivado o crime.

VEJA TAMBÉM

Ex-dançarina de forró é assassinada a tiros quando retornava para casa no Sertão do Ceará

Redação DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

PROBLEMA SOCIAL

VÍDEO: Conselho Tutelar notifica pais por causa de crianças pedindo nos semáforos de Cajazeiras

OPÇÃO RELIGIOSA

VÍDEO: Retiro de Carnaval de Pombal anuncia programação da 35° edição com atrações a nível nacional

CAMPEONATO PARAIBANO

VÍDEO: Wesley, Éder Paulista e o técnico Ederson Araújo aprovam estreia do Atlético e elogiam a torcida

FALTA DE COMODIDADE

Professora cobra fiscalização na ocupação de calçadas por comerciantes que interfere a mobilidade urbana