header top bar

section content

VÍDEO: Mesmo surpreso com atitude de Delzinho, Marcos Barros acredita que ele vai votar em João Azevedo

Vereador do PTC saiu de reunião irritado e disse que não votaria no candidato a governador pelo grupo da situação estadual

Por Jocivan Pinheiro

25/01/2018 às 16h06 • atualizado em 25/01/2018 às 16h38

Uma reunião que ocorreu na sexta (19) na Câmara Municipal de Cajazeiras com as presenças de várias lideranças políticas movimentou os bastidores partidários quando, no meio do encontro, o vereador José Gonçalves (Delzinho – PTC) levantou irritado e ao descer as escadas disse que não votaria em João Azevedo (PSB), provável candidato a governador pelo grupo da situação estadual.

Quem estava na reunião e ficou surpreso com a atitude do colega parlamentar foi o presidente da Câmara, vereador Marcos Barros (PSB).

VEJA TAMBÉM: Aliado de Carlos Antônio declara que não vota com Ricardo Coutinho

Em entrevista à TV Diário do Sertão, Marcos admitiu ter ficado surpreso com a atitude de Delzinho, mas disse acreditar que ele vai repensar sua posição e voltar para o grupo.

“Nós esperamos que o colega Delzinho continue apoiando esse governo, até porque ele sabe da importância que é o governador Ricardo Coutinho [PSB] hoje para a Paraíba, e eu não tenho dúvida do apoio do vereador a esse nosso projeto político de continuidade do desenvolvimento do estado. O contrário seria uma grande surpresa para todos nós. Eu não tenho dúvida que ele vai repensar essa decisão momentânea e se juntar novamente ao grupo”.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

EM CAJAZEIRAS

VÍDEO: Ciro diz que Ricardo ‘prejudicou-se na sucessão’, mas elogia Azevêdo: “Seria uma honra no PDT”

PREOCUPADO

VÍDEO: Na Semana dos Pobres, bispo de Cajazeiras diz que “pobreza se avoluma cada vez mais nas cidades”

A OBRA PAROU?

Ex-vereador denuncia que terminal rodoviário de Sousa está abandonado: “Prefeito Tyrone não está nem aí”

PROJETO DE LEI

VÍDEO: Comentarista diz que críticas ao leilão de imóveis da Prefeitura de Cajazeiras é ‘politicagem’