header top bar

string(13) "diario-sertao"

section content

Vereadores são barrados após projeto para cortar os próprios salários, dos prefeitos, vice e secretários

O autor da proposta na região de Cajazeiras declarou que a reprovação ocorreu porque só vereadores situacionistas compõem as comissões. "Fui barrado"

Por

26/08/2015 às 18h30

Os jovens vereadores de algumas cidades do Brasil parecem se conscientizarem dos enormes salários que recebem em troca de algumas horas de trabalho, além de férias duas vezes por ano, foro privilegiado e outros benefícios.

Em meio a grave crise deste ano, os vereadores de três cidades do país resolveram propor cortes nos próprios salários, dos salários do prefeito e vice-prefeito. Dois são da Paraíba.

O primeiro projeto apresentado foi na cidade de Cambira, no norte do Paraná, que propõe reduzir de R$ 3.027 para R$ 970 os vencimentos dos vereadores, representando corte de quase 70%.

O projeto foi lido em plenário, mas ainda não foi votado. A população lotou a sessão para acompanhar a leitura do documento. A maioria dos moradores é a favor da redução.

O projeto ainda prevê a redução do salário do vice-prefeito para R$ 970 por mês, e também do prefeito, de R$ 9.500 para R$ 6.500. O prefeito de Cambira diz que considera o valor baixo, mas não se opõe a redução.

Na Paraíba, o vereador Segundo Breckenfeld (PMDB), da bancada de oposição de São João do Rio do Peixe também propôs um projeto de lei para reduzir os salários deles próprios, do prefeito e do vice-prefeito, mas foi rejeitado ainda nas comissões, alegando inconstitucionalidade. Na cidade, o salário de vereador é de R$ 4 mil, o prefeito recebe quase R$ 16 mil e o vice-prefeito metade desse valor.

O autor da proposta assegurou que a reprovação do projeto ocorreu porque somente vereadores situacionistas compõem as comissões. “São todos da situação. Eles reprovaram logo”.

Segundo Breckenfeld declarou ainda, que o presidente da Casa, o vereador, Luiz Claudino (PSDC) quis tirar o foco do debate e ao rejeitar a proposta de corte salarial, apresentou um requerimento para doação do próprio salário e do propositor do projeto, em nome do hospital municipal, Capitão João Dantas Roteia, até o ano 2016. 

“Pedi que apresentasse uma justificativa à população e o presidente veio com esse desafio a minha pessoa, mas era apenas o meu e o dele”. Disse Segundo Breckenfeld

Ele explicou que a propositura, caso aprovada, seria para ‘compensar’ os cofres públicos para extinguir, em projeto que seria apresentado posteriormente, a taxa de iluminação pública cobrada à população de São João do Rio do Peixe

O projeto mais recente, apresentado nessa segunda-feira (24) foi do vereador de Sumé na Paraíba, Juan Pereira, que também tem o objetivo de reduzir os salários dos vereadores, prefeito, vice-prefeito, além dos secretários.

O projeto não foi votado, e segundo a propositura, a validade seria para os próximos mandatos e o vereador passaria receber um salário mínimo.

O prefeito receberia R$ 7.880, o vice-prefeito e os secretários receberiam R$ 3.394. O projeto do jovem ainda determina desconto de 15% nos salários dos vereadores faltosos as sessões. 

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:
ENTREVISTA

VÍDEO: Programa Diversidade em Foco com professor de Português destaca as variações da nossa língua

HERANÇA ARTÍSTICA

VÍDEO: Filho de grande nome da música brasileira agita a Festa do Brega no Cajazeiras Tênis Clube

EM JOÃO PESSOA

VÍDEO E FOTOS: Posse da nova diretoria da API é marcada por repentes, lançamento de livro e emoção

DUPLA CERIMÔNIA

VÍDEO: OAB lança em Cajazeiras as chapas para as eleições da Seccional Paraíba e da Subseção local