header top bar

section content

No Sertão: Prefeita tem o mandato cassado por compra de votos; Juiz determina eleição indireta na Câmara

Os advogados da prefeita Ana Maria vão ingressar com recurso no Tribunal Regional Eleitoral, questionando a decisão de 1º grau. Confira aqui!

Por

07/03/2015 às 11h04

Ana Maria Dutra, Prefeita de Brejo do Cruz (Foto: internet)

A prefeita de Brejo do Cruz, Ana Maria Dutra da Silva (PP), teve o mandato cassado por abuso de poder econômico e político, compra de voto e promessa de vantagem nas eleições de 2012. A sentença, assinada pelo juiz Alírio Maciel Lima de Brito, da 38ª Zona Eleitoral, foi publicada no diário eletrônico do Tribunal Regional Eleitoral desta sexta-feira (6).

O magistrado determinou a realização de eleição indireta pela Câmara Municipal de Brejo do Cruz, tendo em vista que a vacância ocorreu nos últimos dois anos do mandato. "Tendo a vacância ocorrido nos últimos dois anos do mandato, a realização de novas eleições deverá ser indireta, na esteira do que dispõe o artigo 81, § 1º, da Constituição Federal", escreveu o juiz.

Foram ajuizadas duas ações contra a prefeita, sendo uma a Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME) e a outra uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije).

Os advogados da prefeita Ana Maria vão ingressar com recurso no Tribunal Regional Eleitoral, questionando a decisão de 1º grau.

Nas eleições de 2012, ela venceu a disputa com 4.362 (53,33%) votos. Seu adversário, Ivandi Melquiades de Sousa Filho, obteve 3.817 (46,67%) votos.

DIÁRIO DO SERTÃO com infomações de Lenilson Guedes

Tags:

Recomendado para você pelo google

PROTESTO

VÍDEO: populares vão às ruas para protestar contra a reforma da Previdência na cidade de Patos

VEJA VÍDEO

Padre de Cajazeiras revela curiosidades sobre o santo casamenteiro: “Faz milagre a pessoa encalhada”

SAÚDE

Dieta milagrosa? Médico diz que a compulsão e afetividade pela comida são perigosas para o emagrecimento

VÍDEO

Mototaxista reclama de multa cobrada na Zona Azul da cidade de Cajazeiras; “Está errado”