header top bar

section content

Deputado de Cajazeiras cobra explicções do Governo sobre anulação da licitação do viaduto do Geisel em JP

Segundo o deputado, a obra foi prometida e já anunciada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB)

Por

23/02/2014 às 09h00

Vituriano cobra ações do Governo da Paraíba

O deputado Vituriano de Abreu (PSC)estranhou neste final de semana a informação sobre a anulação da licitação das obras do viaduto do Geisel, em João Pessoa. Segundo o parlamentar o termo“ocorrência de inconsistência na planilha orçamentária” , divulgado pelo Governo revela a falta de transparência.

“O governador Ricardo Coutinho e o secretário Ricardo Barbosa precisam explicara sociedade paraibana o que houve.  Superfaturamento ou incompetência, ou as duas coisas juntas”, comentou Vituriano.

Segundo o deputado, a obra foi prometida e já anunciada pelo governador. “Essa é uma obra de necessidade urgente para a população, pois naquele local é um caos o trânsito, tudo pela falta de um viaduto. O próprio governador, um mês atrás anunciou a obra, e agora trinta dias depois o Governo vem dizer que a licitação foi anulada”, o povo não pode ser enganado e precisa saber a verdade sobre esse cancelamento da licitação.

A obra do viaduto tem orçamento de R$ 31 milhões,sendo R$ 13,5 milhões do estado e R$ 17,8 milhões do Governo Federal. 

O deputado Vituriano de Abreu anunciou que na volta dos trabalhos na Assembléia Legislativa vai tomar a iniciativa de cobrar explicações sobre a estranha divulgação da anulação da licitação do viaduto do Geisel.

Da secom

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”