header top bar

section content

Leonardo Gadelha confia no apoio de Vituriano para Deputado Federal em 2010

“A entrada de Vituriano nos quadros do PSC abrilhantou o partido, e para mim, seria uma honra que ele fizesse uma parceria comigo, pois acredito na vitória”

Por

09/12/2009 às 21h36

src=http://alpb.codata.pb.gov.br/portal/uploads/20070302143404.jpg“A entrada de Vituriano nos quadros do PSC abrilhantou o partido, e para mim, seria uma honra que ele fizesse uma parceria comigo, pois acredito na vitória”, afirmou o secretário estadual de infra-estrutura, Leonardo Gadelha, que fez uma avaliação das ações do governo na cidade de Cajazeiras e região, destacando também o novo compromisso do governador de reformar e construir as arquibancadas do estádio Perpetão, além da recuperação da PB 411 que liga os municípios de Triunfo e São João do Rio do Peixe.

Santarém

Leonardo também comprovou que conversou com dois vereadores da bancada de oposição da cidade de Santarém, sobre uma possível aliança com os mesmos: “Conversei com três vereadores da bancada de oposição, e espero que dê certo, mas é preciso dar tempo para que eles se decidam, e no que depender de mim a união estará certa”, ressaltou o secretário de infra-estrutura paraibano.

Eleições 2010
Com relação ao pleito de 2010, Leonardo Gadelha confirmou que pretende ser candidato no próximo ano, entretanto, dependerá do projeto do deputado federal Marcondes Gadelha, mas que mesmo com tal indefinição, vem mantendo contato com amigos e correligionários.

RAQUEL ALEXANDRE
Da redação do Diário do Sertão

Tags:

Recomendado para você pelo google

EM SOUSA

Radialista revela que “vítima da mão pesada e dos chutes do prefeito Tyrone” disputará eleições em 2020

VÍDEO

Comandante do Corpo de Bombeiros aponta possíveis causas do incêndio no lixão de Cajazeiras

SAÚDE

VÍDEO: Programa Xeque Mate fala sobre a saúde de Cajazeiras e recebe popular e diretoras do HUJB e HRC

REFORMA AGRÁRIA

VÍDEO: Coordenadora da CPT Sertão afirma que terras são um direito dos camponeses e não do agronegócio