header top bar

section content

VÍDEO: Para pastores de Cajazeiras, reforma protestante libertou os cristãos do poder da Igreja Católica

Nesta terça-feira (31), igrejas protestantes em todo o mundo celebram os 500 anos da Reforma

Por Jocivan Pinheiro

31/10/2017 às 17h01 • atualizado em 31/10/2017 às 17h06

Nesta terça-feira, 31 de outubro, igrejas protestantes (também chamadas de igrejas evangélicas) em todo o mundo celebram os 500 anos da Reforma Protestante. Esse dia ficou conhecido como aquele em que o monge alemão Martin Luther (Martinho Lutero) teria pregado suas 95 teses na porta da igreja do castelo da cidade alemã de Wittenberg.

Elas representavam uma tomada de posição contra o que Lutero considerava práticas abusivas do clero católico romano, como a venda de indulgências (uma forma de perdão dos pecados) e posições doutrinárias que desviavam dos valores primeiros da fé cristã.

O protesto público de Lutero deu origem à reforma protestante que, por sua vez, fez surgir outras congregações religiosas cristãs que com o tempo passariam a ser chamadas de igrejas protestantes e evangélicas. Nascia, então, uma espécie de rivalidade dentro do cristianismo.

Para os pastores Nivaldo Luiz, da Igreja Congregacional da Aliança, e Elson Henriques, da Igreja Batista Missionária, ambas de Cajazeiras, o maior legado da reforma protestante foi a popularização da Bíblia, já que também é atribuída a Martinho Lutero sua primeira tradução do latim para o alemão. Em seguida, outras línguas pelo mundo também traduziriam os livros.

Tendo a oportunidade de ler a Bíblia, cristãos do mundo inteiro passaram a compreender que, segundo as próprias escrituras, a salvação só se dá através da Palavra de Deus, como ressalta o pastor Nivaldo.

“A partir desta data o mudo não foi mais o mesmo, principalmente o ocidente, e os benefícios são inumeráveis em todas as áreas da sociedade. Primeiramente houve uma libertação espiritual, uma valorização enorme da vida moral, dos princípios e valores estabelecidos por Deus.”

Pastor Elson completa: “Nós temos acesso [à Bíblia] e passamos a ter, com precisão, que a bênção de Deus para a humanidade, de perdão, é exclusivamente na graça de Deus. Foi esse o legado deixado.”

Pastor Nivaldo Luiz e Pastor Elson Henriques

Os mesmos erros

Apesar das igrejas evangélicas terem surgido a partir de um protesto contra certas posturas da Igreja Católica, os pastores Nivaldo e Elson lamentam que hoje em dia existam líderes evangélicos que estão se comportando da mesma forma que foi condenada por Martinho Lutero, ou seja, “comercializando a Palavra de Deus”, cobrando dinheiro em troca de suposta salvação.

“Todos que estão pregando fora das escrituras são eréticos. Não importa se fazem milagres, não importa se fazem em nome de Deus, se são muito famosos, se enriqueceram com isso, se são influentes politicamente. Espiritualmente estão mortos e moralmente são uma vergonha, porque muitos deles são avarentos e são pessoas de má conduta, não são exemplos para os fiéis”, criticou Pastor Nivaldo.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

É GRAVE

VÍDEO! Moradores reclamam da falta de exames no laboratório municipal em Patos: “Não tem nem de sangue”

'QUEDA DE BRAÇO'

VÍDEO: Vice-presidente da OAB Nacional afirma que disputa entre advogados e juízes não gera ‘fissuras’

OUTUBRO ROSA

VÍDEO: Cajazeirense relata sua luta contra o câncer de mama e deixa mensagem de otimismo para mulheres

CRÍTICAS A BOLSONARO

VÍDEO: Professora cita problemas na UFCG e alerta para ‘desmonte criminoso das universidades públicas’