header top bar

section content

Estudo revela que PB poderá registrar mais de 1.500 casos câncer de cabeça e pescoço somente este ano

Especialista do HUAC alerta para prevenção, pois segundo o Inca a Paraíba deve registrar 1.690 novos casos este ano.

Por Luzia de Sousa

16/07/2018 às 14h49 • atualizado em 16/07/2018 às 14h56

v

Setenta e cinco por cento dos pacientes da região Nordeste diagnosticados com câncer de cabeça e pescoço chegam aos hospitais em estágio avançado da doença. O alerta é do médico Uirá Coury, cirurgião de cabeça e pescoço do Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), instituição vinculada à Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Na Paraíba, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima 1.690 novos casos apenas este ano.

A maior parte dos casos no Estado, conforme o Inca, deve ser de câncer de pele não melanoma na região de cabeça e pescoço (1.000), seguido por câncer da glândula tireoide (270), cavidade oral (240) e laringe (180).

Atualmente, o HUAC-UFCG dispõe de quatro cirurgiões de cabeça e pescoço. Segundo o cirurgião Uirá Coury, que coordena o setor, uma forma de reduzir o número de casos na Paraíba é orientar as pessoas. “Para isso, desde 2014 a campanha ‘Julho Verde’ é realizada em todo o País como forma de incentivar e conscientizar a população a se prevenir contra a doença. A cada quatro casos de câncer desse tipo diagnosticados, três estão em estágio avançado e mais de 50% vão a óbito. A exceção ocorre em relação à tireoide e laringe que têm prognósticos muito bons”, afirmou Uirá Coury.

O especialista acrescentou que a campanha Julho Verde, realizada em 57 países, visa a mobilizar a sociedade sobre os principais fatores de risco, como ter acesso ao diagnóstico e às possibilidades de tratamento. O Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço é celebrado em 27 de julho.

PRINCIPAIS SINAIS
O cirurgião Uirá Coury também apontou os principais sinais de alerta a que a população deve ficar atenta: úlcera ou afta na boca que não cicatrizam; disfonia (rouquidão) persistente, por mais de três semanas; e nódulo visível no pescoço por mais de 21 dias (principalmente em homens de meia idade com hábito de fumar ou consumir bebidas alcoólicas).

O câncer de boca (denominação genérica de tumores que se originam de várias regiões das vias aéreo-digestivas, como boca, língua, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe e seios paranasais) é hoje o segundo mais frequente entre os homens, atrás somente do câncer de próstata. Nas mulheres, predomina o câncer da tireoide (quinto mais comum entre elas).

Assessoria

VÍDEO: Psicologia no Ar recebe diretores e psicóloga de organização que promove cidadania em Cajazeiras

NOVIDADES

Xeque-Mate visita lançamento do novo plano da Eletrosorte, que firmou parceria com gigante dos seguros

FUTEBOL DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Dirigentes e ex-jogadores relembram histórias marcantes do Duque de Caxias, que completou 50 anos

VÍDEO: Programa de rádio que é sucesso na região de Campina fecha parceria com emissora de Cajazeiras