header top bar

section content

VÍDEO: Médico revela vários fatores que contribuem para o câncer de mama, mas poucas pessoas sabem

O médico e professor mestre Emídio Antônio de Araújo Neto vai proferir a palestra “Câncer de Mama – Onde estamos? Para onde vamos?” na FAFIC

Por Jocivan Pinheiro

29/10/2019 às 17h29 • atualizado em 29/10/2019 às 17h31

A Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras (FAFIC) vai promover, nesta quinta-feira (31), uma palestra sobre o câncer de mama com o médico e professor mestre Emídio Antônio de Araújo Neto, que é R3 em Mastologia.

A palestra “Câncer de Mama – Onde estamos? Para onde vamos?” vai acontecer no auditório Bento XVI pela manhã (das 07:30 às 09:00) e também no período da noite (das 18:40 às 20:15).

Emídio Antônio de Araújo Neto é médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, professor mestre em Medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, professor egresso de Medicina no Centro Universitário de Patos, com residência em Ginecologia e Obstetrícia.

Estudos apontam que pelo menos oito em cada dez pessoas poderão vir a ter algum tipo de câncer. Segundo o médico Emídio Antônio de Araújo Neto, esses dados refletem o aumento do número de diagnósticos. Mas ele também explica alguns fatores que levam à incidência do câncer de mama e que poucas pessoas sabem.

VEJA MAIS: Faculdade de Cajazeiras promove palestra sobre câncer de mama com renomado médico

Médico e professor mestre Emídio Antônio de Araújo Neto

Um desses fatores é a idade. Sabe-se que as mulheres mais velhas correm mais risco de apresentarem câncer de mama. Porém, está cada vez mais comum a incidência da doença em mulheres jovens. Segundo o médico, a falta de interesse pela gravidez é um agravante.

“O câncer de mama tem uma peculiaridade, que ele atinge as mulheres em idade muito nova. E muitas das vezes, mesmo com o tratamento adequado, a pessoa não consegue ficar curada, ou seja, o mais importante é o diagnóstico precoce. Quando acomete mulheres mais jovens, esse câncer tende a ser muito mais grave. E quando a mulher não engravida ou engravida muito tarde, isso passa a ser um fator de risco para ela ter câncer de mama”, explica.

Na Paraíba são cerca de 50 casos de câncer de mama para cada 100 mil habitantes. Mas o médico Emídio Antônio de Araújo Neto explica que pessoas mais ‘abastadas’ financeiramente tem mais tendência a ter a doença. Por isso há mais casos de câncer de mama na região Sul do Brasil.

“Quanto mais abastada, do ponto de vista financeiro, for a pessoa, maior o risco dela ter câncer de mama. Pelo menos nesse dado a pessoa ser pobre tem uma vantagem em relação aos ricos”.

Redação DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

PREOCUPADO

VÍDEO: Na Semana dos Pobres, bispo de Cajazeiras alerta que “pobreza se avoluma cada vez nas cidades”

A OBRA PAROU?

Ex-vereador denuncia que terminal rodoviário de Sousa está abandonado: “Prefeito Tyrone não está nem aí”

PROJETO DE LEI

VÍDEO: Comentarista diz que críticas ao leilão de imóveis da Prefeitura de Cajazeiras é ‘politicagem’

NASCEU DE NOVO!

VÍDEO: condutor-socorrista do SAMU salva bebê que estava engasgado e sem respirar em Patos