header top bar

section content

Muita chuva: Cajazeiras é a cidade que recebeu mais chuvas no primeiro trimestre, diz Agência das Águas

De acordo com a meteorologista, várias cidades do Sertão paraibano receberam chuvas acima da média. "Houve enfraquecimento do El Niño no Atlântico". Veja!

Por Luzia de Sousa

01/04/2016 às 18h04 • atualizado em 01/04/2016 às 18h07

Crise hídrica pode continuar até 2018

O município de Cajazeiras, localizado no Sertão do estado, foi a cidade onde mais choveu neste primeiro trimestre de 2016. De acordo com a Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), foram 755,3 milímetros. Somente em março, foram registrados 447,7 milímetros, 30,8% acima da média histórica do mês.

No ranking das dez cidades com os maiores índices pluviométricos entre janeiro e março também estão Nazarezinho (742,2 mm), Cachoeira dos Índios (738,1 mm), Bom Jesus (714 mm), Cacimba de Areia (647,4 mm), Teixeira (634,2 mm), Marizópolis (612,8 mm), Emas (605 mm), Cajazeirinhas (595,6 mm) e Sousa (593,3 mm).

De acordo com a meteorologista Marle Bandeira, várias cidades do Sertão paraibano receberam chuvas acima da média. “Em março, Nazarezinho e Cachoeira dos Índios tiveram altas de 30,9% e 30,8%, respectivamente. Isto aconteceu porque tivemos condições favoráveis no Oceano Atlântico, enfraquecimento do El Niño e a atuação das Zonas de Convergências Intertropicais”, elencou.

Técnicos da Aesa monitoram a variação do tempo de forma ininterrupta em todo o Estado. Eles se revezam em sistema de plantão no Centro de Gestão de Situações Críticas, que fica localizado em Campina Grande e também é conhecido como Sala de Situação. No local, computadores recebem dados em tempo real enviados por estações meteorológicas, possibilitando a prevenção de eventos críticos como secas e enchentes.

“O período de fevereiro a abril é considerado mais chuvoso da região semiárida. E dentro do quadrimestre, março e abril costumam ser os meses com maiores índices pluviométricos. A tendência é que este mês tenhamos mais chuvas isoladas e bem localizadas. Podem, inclusive, ocorrer eventos de maior intensidade no Cariri, Sertão e Alto Sertão”, explicou Marle Bandeira.

Açudes – Dos 124 reservatórios monitorados pela Aesa, 50 estão com menos de 5% do volume total. Outros 36 açudes têm menos 20% da capacidade máxima, 37 possuem mais de 20% e um está sangrando. A lista completa com a quantidade de água armazenada em cada açude está disponível no site www.aesa.pb.gov.br. Na página também são disponibilizadas informações sobre autorização para uso da água bruta e o trabalho desenvolvido pelos comitês de bacias hidrográficas.

DIÁRIO DO SERTÃO com Secom

NA TELA DA TV DIÁRIO

Diário Esportivo traz tudo sobre a 2ª rodada do Paraibano; Tático narra gol da vitória do Atlético

SE CUIDE!

VÍDEO: No Janeiro Branco, Diversidade em Foco promove uma ‘Conversa sobre suicídio e como evitá-lo?’

RECONHECIMENTO

Prefeito de Sousa garante ajuda mensal ao médico cubano: “Eu irei ajudá-lo em todos os momentos”

"MERECIA MAIS"

VÍDEO: Comentarista critica falta de prestígio de Sousa com o Governo do Estado nas nomeações de cargos