header top bar

section content

Mais uma cidade da região de Cajazeiras entrará em colapso total de água; “Não tem mais” ÁUDIO E VÍDEO

O parlamentar explicou que a água está sendo captada da parte mais profunda do açude e sem nenhuma qualidade “O problema é que não tem mais"

Por Luzia de Sousa

14/09/2016 às 06h16 • atualizado em 14/09/2016 às 08h51

População já recebe água de carros pipa

O sistema de bombeamento de água do açude que abastece a cidade de São José de Piranhas será desativado já na próxima semana, deixando a cidade em colapso total de água. A informação foi do deputado estadual Jeová Campos (PSB), à imprensa de Cajazeiras nessa terça-feira (13).

O parlamentar explicou que a água está sendo captada da parte mais profunda do açude e sem nenhuma qualidade “O problema é que não tem mais água”.

Atual situação do açude da cidade de São José de Piranhas (Foto facebook)

Atual situação do açude da cidade de São José de Piranhas (Foto facebook)

Jeová Campos informou que antes do colapso será perfurado um poço dentro do acudo para tentar prolongar um pouco mais o abastecimento na cidade sertaneja.

O socialista disse também que já foram perfurados dezenas de poços artesianos para ‘alimentar’ caixas de água por toda cidade, para amenizar o efeito do corte no abastecimento.

Ouça áudio da Difusora!

Cagepa
A reportagem tentou ouvir o diretor da Capega regional, Cleidismar Alexandre (Nenem da Cagepa), mas não foi encontrado.

População
Na rede social Facebook foi divulgado um vídeo mostrando a situação atual do abastecimento de água da cidade. Veja o vídeo!

DIÁRIO DO SERTÃO

QUARTO EPISÓDIO

Em homenagem ao Dia das Crianças, programa Coisas de Cajazeiras entrevistou uma turma esperta e antenada

EMOÇÃO E REVOLTA

VÍDEO: Após um ano e três meses, Victória Albuquerque é sepultada sob lágrimas e protestos em Cajazeiras

CRISE?

VÍDEO: Empresário afirma que tem vagas de emprego em Cajazeiras, mas faltam profissionais capacitados

DIRETO AO PONTO

Eleitos em Cajazeiras devem se comprometer com aeródromo, estrada de Boqueirão e hospital, diz colunista