header top bar

section content

VÍDEO: Após ‘apagão’ nas redes sociais, especialistas em segurança digital alertam: ‘o mundo não parou’

Os professores João Paulo e Saymon Maciel destacam que a pane foi um alerta para que as pessoas comecem a explorar outros meios de comunicação, além do Facebook, Instagram e Whatsapp

Por Moisés Conrado

05/10/2021 às 15h45

O especialista em segurança de rede e da informação, o professor da FAFIC de Cajazeiras, Saymon Maciel, aponta que o colapso mundial que derrubou o Facebook, Instagram, Whatsapp e outros sistemas informatizados, na segunda-feira (04), não foi a primeira vez.

Na sua participação no programa Diário News da TV Diário do Sertão, desta terça-feira (05),  ele relembrou que algo semelhante a esse colapso aconteceu no ano de 2020 e 2019.

VEJA TAMBÉM

Professora da Faculdade Santa Maria de Cajazeiras integra ranking de cientistas mais influentes do mundo

Segundo o especialista, um dos motivos da pane nas redes sociais foi uma falha no DNS (Domain Name System) que é Sistema de Nomes de Domínio. O DNS é um tipo de lista telefônica de toda a internet e funciona como um tradutor de endereços IP (Internet Protocol) em nomes de sites.

“Foram rotas de comunicação que fizeram configurações, que não se sabe que foi erro humano ou uma atualização automática, que sobrecarregaram os servidores de rota. Os servidores estavam funcionando, mas ninguém conseguir chegar até eles, pela falha na rota”, disse Saymon.

Facebook, Instagram e WhatsApp passam por instabilidade nesta quarta-feira (3). (Foto: Dado Ruvic/Reuters)

O MUNDO NÃO PAROU!

Já para o Professor de Ciência da Computação e Marketing, especialista em Startup, João Paulo, o mundo não parou. No entendimento dele, essa pane foi uma alerta para que as pessoas comecem a explorar outros meios de comunicação, além do Facebook, Instagram e Whatsapp.

“As empresas não podem depender apenas de um canal de comunicação. A gente não tem só as três redes sociais que deram pane ontem, temos outras formas de comunicação que estavam funcionando normalmente e as empresas não souberam explorar”, acrescentou João.

Segundo João Paulo, o Facebook, Instagram e Whatsapp, ao longo dos últimos anos, estão deixando de ser redes sociais para se tornarem canais de atendimento.

NOTA

O Facebook divulgou uma nota oficial informando que o colapso global de quase sete horas em suas redes, que incluem o Whatsapp e o Instagram, foi uma falha interna: um defeito durante alteração em suas configurações. A empresa esclareceu também que não houve um ataque hacker nem vazamento de dados de usuários.

“Foi um problema no sistema que faz as rotas para que a internet saiba como chegar até as redes sociais”, diz na nota.

O presidente-executivo da empresa, Mark Zuckerberg escreveu em suas redes sociais: “Desculpem pela interrupção de hoje — eu sei o quanto vocês dependem de nossos serviços para ficarem conectados com as pessoas de quem gostam”.

Segundo estimativa, as ações do Facebook despencaram na segunda-feira e Mark Zuckerberg perdeu cerca de US$ 6 bilhões de sua fortuna pessoal. O patrimônio do empresário é de US$ 116,8 bilhões, segundo o ranking de bilionários em tempo real da revista Forbes.

DIÁRIO DO SERTÃO

LIÇÃO DE VIDA

VÍDEO: MC cajazeirense passa dificuldades por causa da pandemia e vende água no semáforo

RELIGIÃO

VÍDEO: Mestre em Ciências da Religião conta detalhes da vinda de Frei Damião ao Brasil e lembra 1ª missa

EM SÃO JOSÉ DE PIRANHAS

VÍDEO: Bolsonaro é recebido por apoiadores e entrega trecho final do Eixo Norte da transposição

SITUAÇÃO DELICADA

VÍDEO: Em Pombal, mulher sem comida em casa e com risco de perder a visão pede ajuda para tratamento

Recomendado pelo Google: