header top bar

Francisco Cartaxo

section content

A morte do tenente João Cartaxo (4)

15/02/2015 às 14h37

Povoado de Santa Fé. Ainda hoje há quem faça confusão entre Santa Fé e a cidade de Bonito de Santa Fé. Volto ao assunto para atender, também, algumas mensagens de leitores desta série de artigos, pedindo mais informações a respeito daquele minúsculo pedaço do sertão do Piranhas. Santa Fé é hoje um lugarejo meio isolado na serra do Bongá, ao qual se chega a partir da saída de São José de Piranhas rumo a Carrapateira. Fui lá conferir o que restou do famoso povoado. Tive o privilégio da companhia do professor Francisco Pereira, tendo como cicerone Messias Lima, mestre e escritor, que, aliás, já sistematizou em livros dados importantes acerca de Santa Fé e sua história. Na origem, tal como Cajazeiras e São José de Piranhas, Santa Fé pertenceu ao município de Sousa. Já foi distrito de Bonito e hoje integra o município de Monte Horebe. 

Desde que se tornou arruado, no século XIX, fez-se passagem e parada de comboios de tropeiros vindos do Pajeú e do vale do Piancó com destino ao Ceará. O clima ameno ajudou a atrair para Santa Fé fazendeiros e comerciantes, um fator de impulso para o povoado, fazendo-o florescente núcleo comercial, a ponto de suplantar, segundo historiadores, o antigo distrito de São José de Piranhas. Entre os homens ricos que foram morar em Santa Fé estava o coronel José Ferreira Guimarães (Cazuza Marinheiro), avô de Otacílio Jurema, de José Rolim Guimarães e bisavô do oftalmologista Sabino Filho. O coronel Guimarães, hoje nome de rua em Cajazeiras, saiu de Santa Fé, fugindo das brigas de família e, sobretudo, da presença de grupos de cangaceiros, a exemplo dos Viriatos, o mais famoso.  

Quem eram os Viriatos?

Eram muitos irmãos, segundo Gustavo Barroso, salteadores de estrada e guerreiros. Colocavam em prática os ardis dos ladrões, obrigando os comboieiros a pagar tributos de barreira, pedágio ou passagem. Os Viriatos tinham base em Boa Esperança (atual cidade de Iara) e agiam de preferência na divisa do Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, sendo “as comarcas do Icó, Cajazeiras, Sousa e Pau dos Ferros as áreas de operação da horda de facínoras”, segundo Abelardo Montenegro. Eles eram assíduos em Santa Fé. Existem muitas referências aos Viriatos nas disputas, brigas, roubos e outras traquinagens, sem contar a acusação de que uma parte do grupo teria ajudado o alferes João Pires Ferreira a invadir Cajazeiras, no dia da eleição municipal, em 18 de agosto de 1872, quando morreu o tenente João Cartaxo.

Pois bem, as disputas econômicas, a presença dos Viriatos e outros grupos de cangaceiros, acoitados por fazendeiros, transformou Santa Fé num lugar insuportável. Tanto é que dois vigários de lá (os padre Manoel Lins de Albuquerque e padre José Tomaz de Albuquerque) lançaram maldição sobre Santa Fé e foram embora. Junte-se a isso, a grande seca de 1877 e está formado o quadro que levou Santa Fé à completa decadência. Na vila, hoje reconstruída, atuais restam poucos sinais de sua antiga pujança. Um cruzeiro, pedaços de parede de casa seculares, um cemitério e a vista de rara beleza natural voltada para “a serra que te abraça, a aurora que te acorda, o rio que te enlaça como grande corda”, nos versos do advogado e compositor Luiz Ramalho, ao querer imortalizar sua terra na canção “Santa Fé”, gravada por Amelhinha, disponível no You Tube.

P S – O escritor Otacílio Cartaxo, em conto do livro “Homens e bichos”, pela voz de personagem fala que os Guimarães são os antigos Viriatos… 

Francisco Cartaxo

Francisco Cartaxo

Francisco Sales Cartaxo Rolim foi secretário de planejamento do governo de Ivan Bichara, secretário-adjunto da fazenda de Pernambuco – governo de Miguel Arraes. É escritor, filiado à UBE/PE e membro-fundador da Academia Cajazeirense de Artes e Letras – ACAL. Autor de, entre outros livros, Guerra ao fanatismo: a diocese de Cajazeiras no cerco ao padre Cícero.

Contato: cartaxorolim@gmail.com

HUMOR

VÍDEO: sousense relata o que acontece na cidade durante o período eleitoral e viraliza na internet

PAINEL

VÍDEO: Abuso de poder pode tornar candidato inelegível nas eleições 2020, alerta ministro do TSE

FEMINICÍDIO

VÍDEO: Delegado do caso Pâmella Bessa lamenta impunidade no Brasil e faz alerta para população

ALERTA

VÍDEO: Corpo de Bombeiros prevê aumento de incêndios na região de Cajazeiras até final do ano

Francisco Cartaxo

Francisco Cartaxo

Francisco Sales Cartaxo Rolim foi secretário de planejamento do governo de Ivan Bichara, secretário-adjunto da fazenda de Pernambuco – governo de Miguel Arraes. É escritor, filiado à UBE/PE e membro-fundador da Academia Cajazeirense de Artes e Letras – ACAL. Autor de, entre outros livros, Guerra ao fanatismo: a diocese de Cajazeiras no cerco ao padre Cícero.

Contato: cartaxorolim@gmail.com

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!