header top bar

Padre Djacy

section content

Longe de um verdadeiro Atlético

07/02/2010 às 12h21

Por Reudesman Lopes

Amigos do futebol, hoje é domingo 31 de janeiro e resolvi escrever esta coluna antecipando-me ao resultado do Atlético nesta quarta feira, 03, para independente do placar deste jogo contra a Queimadense em Campina Grande dizer da minha apreensão com relação ao atual time do Atlético que considero tão fraco quanto aquele que nos jogou para a segunda divisão em 2009. É verdade que melhoramos um pouco contra o Treze no empate em 2 a 2, tivemos vontade e atitude, mas, também é verdade que demonstramos uma incapacidade técnica fenomenal pois muitos dos nossos atuais atletas não têm a mínima condição de vestir a camisa do Atlético e no máximo com muita força seriam bons reservas.

Justiça se faça aos nossos heróicos dirigentes, Nivan, Narcisão, Humberto, Ronaldo e outros, na atual conjuntura este foi o melhor que eles puderam fazer pelo Atlético, só que a galera não quer saber se tem ou não dinheiro para investir em contratações que possam resolver os nossos problemas, o que ela exige é um time vencedor, competitivo e isto no momento não temos.

Até hoje, com todo o respeito que devemos ter ao ser humano ao trabalhador eu estou afirmando que “profissionalmente” muitos dos jogadores que hoje vestem a camisa atleticana não têm as mínimas condições para tal e os que vimos em campo contra o Treze, com “raras exceções”, não nos empolgaram em nada, pois, acho-os no mesmo nível dos demais, ou seja, fracos em termos de futebol.

Sorte nossa, muito embora membros da comissão técnica não tenham gostado, a FPF resolveu adiar o jogo contra o Auto Esporte e assim tivemos mais tempo de treinar e reforçar o grupo já que entendemos que o autinho do amor neste momento é muito mais forte que o Atlético e daria um trabalho imenso ao Mais Querido do Sertão.

Este é o momento do Atlético se juntar aos nossos empresários, a nossa classe política, a imprensa cajazeirense e principalmente aos nossos torcedores para que unidos possamos encontrar meios para tirar o nosso representante deste enorme caldeirão que está fervendo, e só podemos sair dele se contratarmos jogadores que venham para serem os titulares e resolverem os enormes problemas que temos com esta equipe que nos representa atualmente.

Gostaria que a direção, comissão técnica, atletas e torcedores entendessem a nossa preocupação, já que as nossas posições sempre foram, são e serão de críticas construtivas, de alertar o Mais Querido do Sertão. O Atlético sempre foi um time vencedor, um time de chegada, um time que sempre brigou pelas primeiras posições da tabela, pelos títulos dos turnos, dos campeonatos, nos acostumamos a ver grandes times do Trovão Azul do Sertão, ele sempre foi temido pelos seus adversários e vê-lo nesta situação em que se encontra, um dos favoritos ao rebaixamento ao lado da Queimadense e do Esporte de Patos nos remete a uma profunda decepção e por que não uma reflexão já que todos somos responsáveis. Hoje, o Atlético está longe, muito longe de um verdadeiro Atlético, de um Trovão.

Serve ou não serve?
Os jogadores que estão sendo contratados e que por aqui estão chegando, pelas noticias veiculadas pelos programas esportivos das emissoras da nossa cidade não estão agradando a comissão do Atlético. É que segundo estas fontes, os jogadores estão fora de forma física e técnica. Ora, neste momento o Atlético não tem a mínima condição financeira de trazer jogadores a peso de ouro. Portanto, se estes jogadores que estão chegando são pelo menos “melhorzinho” dos que estão vestindo a camisa atleticana seria inteligente que a comissão técnica realizasse um planejamento de curto prazo para contar com eles o mais rápido possível. Tem muita fala errada pelo que estou escutando e o Atlético vai se afundando jogo a jogo.

Carências
De um torcedor: Professor, quantos jogadores você acha que o Atlético precisa para sair deste sufoco? Disse-lhe, para ser bonzinho com a nossa esforçada diretoria, nós precisamos de pelo menos seis jogadores e todos para serem titulares, digo, tem que ser jogador de ponta. E as posições professor, perguntou o amigo torcedor: afirmei, dois zagueiros, um volante, um meia direita, um meia esquerda e um atacante.

Proibida
Acabei de receber informações de uma fonte do VI Batalhão de Polícia Militar de Cajazeiras que chegou a este quartel ofício expedido pela Federação Paraibana de Futebol para que se cumprisse em todos os jogos oficiais do Campeonato Paraibano desta temporada o que manda o estatuto do torcedor e neste vem à proibição da venda de bebida alcoólica nas dependências do Perpetão, inclusive é vetada a entrada de torcedor com copos, ou seja, aquele que vai lá fora e busca uma maneira de “tomar uma”. Ótima notícia para aquele torcedor que vai apenas para ver o espetáculo do futebol.

BOLA DENTRO
Para o esforço que a diretoria do Atlético vem fazendo para reforçar o time. Peço à galera que entenda a situação e apóie ainda mais Nivan, Narcisão, Humberto, Ronaldo. Para eles, pelas suas lutas e os seus esforços NOTA 10!

BOLA FORA
Para o acesso ao Perpetão. Se lá dentro o Colosso ta uma beleza, lá fora, chegar ao estádio é uma verdadeira guerra contra buracos e lama. Daqui faço um apelo “a quem de direito” para resolver a situação que é caótica. Para nós NOTA 0!

Padre Djacy

Padre Djacy

Pároco da paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, da cidade de Pedra Branca, no Vale do Piancó, Diocese de Cajazeiras, Paraíba.

Contato: padredjacy@hotmail.com

17 DE MAIO

VÍDEO: Repórter relata preconceito ao se assumir gay e vê LGBTQIA+ sendo ‘usados’ em debate eleitoral

FÉ CATÓLICA

VÍDEO: Bispo de Cajazeiras participa de Missa no túmulo de São Pedro, na Basílica do Vaticano, em Roma

ELEIÇÕES 2022

VÍDEO: Veneziano diz que chapa com Ricardo não tem ‘Plano B’ e nega conversas com Cássio e Pedro

ELEITOS EM 2020

VÍDEO: Advogado comenta decisão do TRE que determina cassação de vereadores de cidade na região de Sousa

Padre Djacy

Padre Djacy

Pároco da paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, da cidade de Pedra Branca, no Vale do Piancó, Diocese de Cajazeiras, Paraíba.

Contato: padredjacy@hotmail.com

Recomendado pelo Google: