header top bar

Luiz Adriano

section content

Não teve festa, mas teve carnaval

09/03/2021 às 19h44

Aglomerações no período carnavalesco na Paraíba em 2021. (Coluna de Luiz Adriano).

O carnaval no Brasil tem gerado histórias polêmicas. Em São Paulo, no ano de 2019, a escola de samba Gaviões da Fiel desfilou e apresentou uma encenação que demonstrava uma luta “do bem contra o mal”, na qual Jesus era o derrotado e Satanás o vitorioso. Em 2020, ano da pandemia do Novo Coronavírus, a festa tradicional antecedeu o início dos casos e, consequentemente, das mortes em todo o Brasil.

Após um ano de pandemia, mesmo o país tendo passado por eleições municipais e festas de fim de ano, apenas na tradicional “festa da carne” apareceu o estampido de casos da Covid-19. Contudo, você pode questionar: “mas se não houve a festa, por que tantos casos?”. Com toda razão essa pergunta deve ser feita, no entanto, o que não foi realizado foi a festa programada pelas autoridades, porém o evento marcado pelos irresponsáveis, mal educados, desumanos… esse, sim, aconteceu e infelizmente em todo o Brasil. Um dos sinônimos para carnaval é alvoroço, e foi isso que aconteceu em 2021.

Nesse sentido, as aglomerações que sempre foram proibidas pelas autoridades aconteceram em todo o território nacional e isso foi visto através da mídia. Sendo assim, a irresponsabilidade de quem aglomerou nas orlas, nos restaurantes, nos bares, enfim, em tantos outros lugares, acarretou no crescimento da curva em todos os estados brasileiros.

Hoje, estamos pagando a conta que não fizemos; chorando as lágrimas que não merecemos, colhendo frutos plantados por outros… é uma semeadura difícil de aceitarmos, mas, vamos continuar fazendo a nossa parte, vamos ficar em casa e torcer para que nossa família não pague mais caro do que ficar em casa, que seria ter que sair e precisar de um leito de hospital.

O momento é para aprendermos a obedecer, a viver o que a bíblia fala em Romanos 13:1-2: “Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus. Por isso, quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação”.

Portanto, torcemos para que tudo isso passe e para que as vacinas cheguem até nós e, assim, possamos ter novos suspiros de alegria e voltar a caminhar, conversar na praça, ir ao shopping, sem nenhuma restrição. Queremos que a vida continue e a pandemia acabe, entretanto, se não fizermos a nossa parte pode ocorrer o contrário: a vida pode terminar e a pandemia pode prosseguir.

Luiz Adriano

Luiz Adriano

Radialista, Mestre de Cerimônia e graduado em Jornalismo pela Faculdade Maurício de Nassau em João Pessoa-PB

Contato: luizadrianoibm@gmail.com

DEDICAÇÃO

VÍDEO: Vereador homenageia professora de Umari uma dos autores de material didático do estado do Ceará

SINCERA

VÍDEO: Vereadora de Ipaumirim se arrepende de ter votado em Lei sobre Organizações Sociais

VENCEU O VÍRUS

VÍDEO: Pai de Gefferson Moura recebe alta hospitalar, após 45 dias de internação devido a Covid-19

DESUMANO

VÍDEO: Advogada questiona decisão que sentenciou casal de idosos para deixar residência em Patos

Luiz Adriano

Luiz Adriano

Radialista, Mestre de Cerimônia e graduado em Jornalismo pela Faculdade Maurício de Nassau em João Pessoa-PB

Contato: luizadrianoibm@gmail.com

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!