header top bar

Alexandre Costa

section content

De Volta ao mapa da fome

12/04/2021 às 09h17 • atualizado em 12/04/2021 às 09h18

Fome

Por Alexandre José Cartaxo da Costa

Quando o médico e cientista político pernambucano Josué de Castro (1908–1973) publicou A Geografia da Fome, no ano de 1946, uma obra que viria se tornar uma referência na análise da fome no Brasil, jamais imaginou os efeitos e os impactos devastadores de uma pandemia num país que por anos a fio já era detentor de altíssimos e vergonhosos índices famintos em sua população.

O multifacetado e esquecido, o também nutrólogo e político, Josué Apolônio de Castro, não somente se tornou um especialista na fome em países subdesenvolvidos, mas em todo o mundo. Ao publicar, em 1952, A Geopolítica da Fome, consagrou-se como uma das maiores autoridades no mundo no combate a fome, sendo catapultando à presidência do Conselho Executivo da FAO–Organização das Nações Unidas, para Alimentação e Agricultura em Genebra.

Na verdade, o ensaio do recifense, Josué de Castro, transformou-se em um verdadeiro tratado sobre as origens socioeconômicas da fome onde ele denunciava para o mundo de forma contundente as argumentações simplistas e conformistas que tendem a naturalizar a tragédia da fome.

Com o caos pandêmico do coronavírus recrudescendo no país, ultrapassando a tétrica marca de mais de 4000 mil mortes por dia, o quadro de segurança alimentar foi aguçado chegando a níveis críticos. Segundo a REDE PENSSAN–Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, em 2020, a fome voltou a grassar de forma desenfreada batendo na porta dos domicílios de 55% dos brasileiros, onde 116,8 milhões de pessoas convivem com algum grau de insegurança alimentar e 19 milhões (9% da população) estão literalmente passando fome. Uma tragédia alimentar.

Pela primeira vez em 17 anos percorremos o caminho inverso rumo ao Mapa da Fome (Indicador social da ONU que indica quais os países nos quais mais de 5% de sua população ingere menos calorias do que o necessário). Esta terrível previsão de voltarmos a ser inseridos no Mapa da Fome, independentemente do início da pandemia em 2020, foi feita pela FAO em 2019 quando já apresentávamos baixíssimos indicadores de segurança alimentar.
Enquanto isso, hoje, os famélicos e esquálidos brasileiros acossados pelo atraso na liberação do auxílio emergencial, pelo desemprego e pela alta dos alimentos, já são vistos em hordas perambulando pelas ruas, praças e logradouros das cidades num quadro perturbador, fielmente retratado, há 75anos, na magnífica obra de Josué de Castro.

Alexandre Costa

Alexandre Costa

Alexandre José Cartaxo da Costa é engenheiro, empresário, presidente da CDL Cajazeiras, diretor da Fecomercio  PB e membro da ACAL.

Contato: cartaxocosta@gmail.com

OPINIÃO SOBRE CRIMINALIDADE

VÍDEO: Pré-candidato à presidência diz que governantes são coniventes com drogas e armas nas comunidades

COMPLICADO

VÍDEO: Vereador afirma que é difícil encontrar o prefeito de Itaporanga na cidade e faz denuncias

COMPLICADO

VÍDEO: Prefeito de cidade da região de Patos desconhece dados da pandemia da Covid-19 e sobre vacinação

LUTO

VÍDEO: Tio de Jeová, ex-vice-prefeito de Cachoeira morre aos 80 anos; políticos prestam homenagens

Alexandre Costa

Alexandre Costa

Alexandre José Cartaxo da Costa é engenheiro, empresário, presidente da CDL Cajazeiras, diretor da Fecomercio  PB e membro da ACAL.

Contato: cartaxocosta@gmail.com

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!