header top bar

José Ronildo

section content

Vacina

14/08/2020 às 15h28

Coluna de José Ronildo

Com as expectativas elevadas pela vacina contra a COVID-19, o questionamento que mais aflige as autoridades e a população é sobre quem deve receber as doses primeiro.

O Ministério da Saúde já está começando a discutir quais serão os critérios usados e, de acordo com divulgação recente, devem ser os mesmos aplicados à vacinação da gripe, provocada pelo vírus influenza.

“Estamos falando de uma doença que afetou o mundo inteiro. Existe diferença entre o mundo ideal e o real. Temos 7 bilhões de pessoas no mundo e o ideal seria que vacinássemos o mundo inteiro. Infelizmente não temos essa possibilidade.

No Brasil, a estratégia que usamos é a da Influenza, uma estratégia em que a gente vai fazer uma cobertura vacinal para Influenza”, afirmou Arnaldo Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde, na última quarta-feira (5).

No entanto, essa decisão acaba divergindo dos critérios de risco do novo coronavírus. Para a vacinação contra a gripe comum, por exemplo, crianças também estão no grupo de risco, recebendo prioridade, o que não acontece com a COVID-19. Fernando Hellmann, pesquisador da Universidade Federal de Santa Catarina, afirma que seria um absurdo que as duas vacinas seguissem a mesma lógica.

“É um erro. Doenças diferentes requerem estratégias diferentes. Quando a vacina chegar, ela deve ser dada para que se restabeleça a igualdade de oportunidades em sobreviver à COVID-19 em todos os brasileiros. A gente sabe que ela mata mais a população idosa, doentes crônicos, indígenas, negros e pobres. E por isso eles devem ser prioridade”, diz o especialista.

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Ricardo Gazzinelli, a definição dos grupos prioritários deve ser definida em combinação a uma hierarquia de áreas de acordo com a gravidade das epidemias, determinando regiões com mais casos graves e transmissões.

Monte Horebe

Com o aval de líderes políticos tradicionais e novas forças da política local, o grupo de oposição na cidade de Monte Horebe anunciou, no último domingo (09), a chapa majoritária para disputar a eleição municipal este ano.

A chapa encabeçada por Luciano Pessoa (PTB) tem como pré-candidato a vice-prefeito o ex-vereador e ex-presidente da Câmara Municipal, Luciê Dias (PDT).

Cachoeira dos Índios

Já em Cachoeira dos Índios, as duas chapas também estão montadas. Finalmente as oposições chegaram a um consenso, com a retirada da pré-candidatura do ex-prefeito Bodin e a escolha do nome de Arlindo Francisco (Têta), que de certa forma surpreendeu. O empresário Júnior do Loteamento, do Avante, será o candidato a vice.

Júnior saiu fortalecido do último pleito, quanto o seu candidato a deputado estadual, Júnior Araújo foi o majoritário no município, um resultado que também surpreendeu a muita gente. Além do apoio de Bodin, a chapa também terá o apoio da atual vice-prefeita do município, Guia da Farmácia.

Já o prefeito Alan Seixas também surpreendeu e anunciou como companheiro de chapa, o suplente de vereador, Damião da Casa de Apoio. Portanto, a disputa em Cachoeira dos Índios será entre um tio e um sobrinho.

Santa Helena

A pré-candidata a Prefeita do município de Santa Helena, a empresária Vera Claudino intensificou nos últimos dias. Durante as visitas a pré-candidata recebeu diversos apoios de populares da localidade ratificando seu apoio ao projeto político de renovação para o município de Santa Helena. A pré-candidatura da empresária Vera Claudino vem ganhando forças nos últimos dias, com a confirmação de diversos apoios.

Bom Jesus

Segundo o levantamento de um site da região, de janeiro até junho deste ano, o número de contratações em cargos comissionados na Prefeitura de Bom Jesus aumentou em mais de 100%. Em janeiro eram 20 comissionados e em junho esse número chegou a 43, em média a Prefeitura de Bom Jesus contrata, ao menos, quatro servidores sem concurso por mês.
Os gastos com esse pessoal mais que dobraram durante o período e passou de R$ 56.177,62 (em janeiro de 2020) para R$ 118. 859,16 (em junho do mesmo ano0.  Um aumento de quase R$ 63 mil em apenas seis meses.

José Ronildo

José Ronildo

Redator do Jornal Gazeta, Radialista e apresentador do Microfone Aberto da Rádio Alto Piranhas

Contato: altopiranhas@uol.com.br

PAINEL

VÍDEO: Abuso de poder pode tornar candidato inelegível nas eleições 2020, alerta ministro do TSE

FEMINICÍDIO

VÍDEO: Delegado do caso Pâmella Bessa lamenta impunidade no Brasil e faz alerta para população

ALERTA

VÍDEO: Corpo de Bombeiros prevê aumento de incêndios na região de Cajazeiras até final do ano

INELEGÍVEIS OU NÃO?

VÍDEO: Ministro explica por que políticos ficha suja foram liberados para se candidatarem neste ano

José Ronildo

José Ronildo

Redator do Jornal Gazeta, Radialista e apresentador do Microfone Aberto da Rádio Alto Piranhas

Contato: altopiranhas@uol.com.br

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!