header top bar

section content

Juiz inocenta homem por estupro porque a vítima “não gritou”

“Não houve choro, grito. Você não o empurrou”, argumentou o magsitrado.

Por Priscila Belmont

24/03/2017 às 17h20

O autor do crime disse, na saída do julgamento, que a vítima real do casa foi ele que teve a reputação arruinada. (Foto ilustrativa)

Uma decisão de um juiz de Turin, Itália, tem provocado polêmica. O magistrado Diamante Minucci julgava um homem, de 46 anos, que não teve a identidade revelada, acusado de estuprar uma mulher na cidade. Os advogados de acusação pediam que o autor do crime fosse sentenciado por, pelo menos, 10 anos. No entanto, Diamante surpreendeu a todos ao considerá-lo inocente.

“Não houve choro, grito. Você não o empurrou. Nos perguntamos o por quê? Sem provas, o crime não existe”, afirmou o juiz. Ainda de acordo com ele, a vítima foi muito vaga durante o testemunho quando se referiu “aos sentimentos e comportamentos geralmente encontrados em histórias de abuso sexual”. As informações são do site italiano Il Fatto Quotidiano.

O advogado de acusação rebateu o juiz e disse que a mulher permaneceu em silêncio porque estava em “uma situação de dor” e não é isso que faz ou não ela ter sido vítima. Mas foi em vão. O autor do crime disse, na saída do julgamento, que a vítima real do casa foi ele que teve a reputação arruinada.

Metrópoles

Recomendado para você pelo google

VÍDEO

Governador João Azevêdo fala sobre o afastamento político com Ricardo Coutinho e mudanças no Governo

TRAGÉDIA

VÍDEO E FOTOS: Delegado dá detalhes do grave acidente próximo a parque de vaquejada em Cajazeiras

ESPERANÇA

VÍDEO: Presidente da OAB declara que luta pela permanência da Vara do Trabalho de Cajazeiras não acabou

ENTREVISTA

VÍDEO EXCLUSIVO: Governador anuncia obras no Sertão, esclarece polêmicas e fala de relação com Ricardo