header top bar

string(13) "diario-sertao"

section content

Ex-policial do Sertão da Paraíba é preso no Maranhão acusado de assaltos a bancos

A suspeita da polícia é que ele e outro comparsa de 25 anos, que também foi preso, iriam assaltar uma agência bancária.

Por

02/12/2015 às 13h15

Ex-policial do Sertão da Paraíba é preso no Maranhão

Um ex-soldado da polícia militar da Paraíba, natural de Pombal, foi preso na cidade de Buriticupu, Estado do Maranhão, na tarde de segunda-feira (30), após roubar um veículo naquela localidade.

Na ação, José Luís Militão de Moura, conhecido por “Soldado Moura” (FOTOS), de 48 anos, foi detido pela PM que entrou em diligências para localizar os autores de um assalto praticado, de onde os assaltantes levaram uma caminhonete Hilux, com placas de Imperatriz (MA), em um sítio do município de Bom Jesus das Selvas, no mesmo Estado.

A suspeita da polícia é que ele e outro comparsa de 25 anos, que também foi preso, iriam assaltar uma agência bancária.

A dupla só foi presa porque a polícia montou uma barreira na rodovia e efetuou disparos contra o pneu do carro, fazendo com que eles parassem.

O “Soldado Moura” trabalhou em Pombal e Paulista na polícia militar, mas foi expulso da corporação por participar de assaltos a agências dos Correios no Sertão.

Ele também responde por um homicídio na cidade de Brejo do Cruz, e estava com mandado de prisão expedido pela Justiça.

O pombalense e o outro acusado do assalto foram encaminhados à delegacia local e autuados em flagrante pelo crime de roubo, sendo conduzidos ao presídio da cidade.

Da Liberdade FM

Tags:
BLACK FIADO

VÍDEO: Conheça a versão mais popular da Black Friday que agita o comércio de Cajazeiras durante 30 dias

DESTAQUES DA SEMANA

VÍDEO: Repercussão da entrevista de José Aldemir encabeça as polêmicas do Direto ao Ponto desta terça

PROGRAMA DE MÚSICA

VÍDEO: Confira as novidades que vêm aí na nova temporada do Acústico Diário com cantor cajazeirense

VÍDEO

Secretário responde a sindicato e diz que acusações contra prefeito de Cajazeiras podem parar na Justiça