header top bar

section content

Jr. Araújo entrega documentação ao secretário de Educação da PB para início da obra do Manoel Mangueira

A obra de construção da nova escola está orçada em cerca de R$ 7 milhões, com previsão para ser entregue em 2022

Por Moisés Conrado

18/10/2021 às 18h10 • atualizado em 18/10/2021 às 18h13

Deputado Júnior Araújo e o secretário de Educação da PB. Foto: Divulgação

O deputado estadual Júnior Araújo (Avante) esteve na manhã desta segunda-feira (18) reunido com o secretário de Educação da Paraíba, Cláudio Furtado, para entregar o último documento que estava pendente para o início da licitação da obra da Escola Estadual Manoel Mangueira, localizada na zona norte de Cajazeiras.

A certidão que comprova a dominialidade do imóvel por parte do Governo da Paraíba foi adquirida junto ao cartório de registro de imóveis.

VEJA TAMBÉM

Secretário lamenta depredação e diz que novo colégio Manoel Mangueira pode ser entregue em 2022

A certidão dominial, também conhecida como certidão de cadeia dominial é um documento que segue cronologicamente as transmissões de posse que dizem respeito ao imóvel em questão, assim como todos os eventos registrados na matrícula ou transcrição desse bem.

“Resolvidas às questões burocráticas que impediam a demolição do antigo prédio da Escola Manoel Mangueira, o Governo do Estado da Paraíba deverá abrir imediatamente o processo licitatório para a construção do novo prédio”, pontuou Júnior Araújo.

A obra de construção da nova escola está orçada em cerca de R$ 7 milhões, com previsão para ser entregue em 2022.

DIÁRIO DO SERTÃO com Assessoria

ESCLARECENDO DÚVIDAS

VÍDEO: Padre explica por que a Igreja Católica Apostólica Brasileira aceita casamento de sacerdotes

DURANTE MISSA

VÍDEO: Bispo de Patos faz alerta a respeito de ‘marcas’ que ficam em crianças abandonadas pelos pais

NOMES QUE NUNCA CONCORRERAM

VÍDEO: Secretária municipal vence enquete online sobre possíveis candidatos a prefeito de Cajazeiras

OPINIÃO

VÍDEO: Padre faz desabafo indignado sobre escândalo no Ministério da Educação: “Queremos punição”

Recomendado pelo Google: